Um pneu da China que está incomodando o país

Publicação: 20 de Julho de 2007 às 00:00 | Comentários: 0
A+ A-
DivulgaçãoMAXXIS - Uma das marcas de pneu importadas por uma montadora nacional para um de seus modelosMAXXIS - Uma das marcas de pneu importadas por uma montadora nacional para um de seus modelos

Recentemente, um cidadão que preferiu não se identificar, adquiriu um automóvel zero quilômetro, de uma determinada montadora instalada no Brasil que, logicamente, veio equipado com cinco pneus e cinco rodas. Porém, antenadas com a “globalização”, a montadora e suas concessionárias autorizadas estão reinventando a “roda”. Ou melhor, deixando de lado os pneus na relação de consumo. Isso porque equipam alguns modelos com pneus de fabricantes “chineses” – como Maxxis, Champiro, entre outros – que são mais baratos que os produzidos no Brasil, mas têm distribuição deficiente no território nacional.

A economia da “montadora” acerta o consumidor, que teve o pneu dianteiro de seu carro furado e procurou um da mesma marca – Campiro – para comprar. Na concessionária que lhe vendeu o carro a informação que recebeu foi a seguinte: você terá que pagar o frete de “tal” cidade (onde está instalada a fábrica que produz o carro) até esta cidade, o que elevará o preço do pneu aro 13 para R$ 195,00. Ele questionou que um pneu de uma multinacional poderia ser comprado por preço inferior e que não era justo pagar pelo frete, pois, se comprou o carro com determinado componente, é dever da fábrica disponibilizá-lo para reposição. Depois de reclamar bastante e ameaçar acionar o Procon, conseguiu que a montadora pagasse o frete do pneu, porém a fábrica não informou da antemão o valor final do produto. Quando foi buscá-lo na concessionária, o cliente se assustou, pois o pneu chinês custava R$ 155,00. Preferiu usar o “estepe” e comprar outro de uma marca multinacional na promoção, por R$ 135,00 para deixar de sobressalente. “Um pneu da China não pode custar mais caro do que um pneu de marcas mais conhecidas”, afirma o cidadão. 

Queda nas vendas

O proprietário de uma loja que comercializa pneus de multinacionais concorda com o consumidor, objeto da presente reportagem, e afirma que os chineses comercializam pneus cerca de 40% mais baratos que os produtos que vende. “A inserção dos pneus chineses no mercado é muito grande. Os importadores dos mesmos conseguem entrar facilmente com esses produtos no País e assediam até aqueles que comercializam grandes marcas”, afirma o empresário.

O efeito da invasão dos pneus importados da China foi uma “queda” de 30% na participação de mercado no último ano, das empresas que vendem pneus normais.

Villien Soares, diretor da Anip  (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos), explica que os pneus chineses são um problema complexo e que a indústria estuda, desde o ano passado, uma maneira de entrar com uma “ação antidumping”. Para o mercado de automóveis, a participação dos pneus chega atualmente  a 10%, enquanto em 2005 era de apenas 3%. Villien não vê nessa briga vantagens para o consumidor: “ao usar o pneu chinês, o cliente fica desprotegido e não encontra rede de assistência da marca”, diz.



Deixe seu comentário!

Comentários