Acusado de estupro é absolvido por falta de provas

Publicação: 2010-09-29 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
Após 80 dias de prisão, no Centro de Detenção Provisória da Ribeira (CDP) o homem (que terá a identidade preservada) e que havia sido denunciado pelo Ministério Público por estupro de vulnerável, na creche Lar Feliz, em Cidade Satélite, ganhou a liberdade na segunda-feira (27) à noite. O alvará de soltura  foi assinado pelo juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude Sérgio Roberto Nascimento Maia. De acordo com Juscelino Fernandes de Castro, advogado de defesa do suspeito, o juiz entendeu que não havia provas para mantê-lo preso. “Ele foi absolvido por falta de provas. Entendo que o caso está encerrado. A prestação jurisdicional foi cumprida. O promotor pediu absolvição, a defesa também e o juiz concedeu”, informou Juscelino.

Após quase três meses na prisão, o homem que sempre jurou inocência está dez quilos mais magro e traumatizado por ter passado tanto tempo atrás das grades. “Quando soube, por meio, do advogado que  estava livre fiquei muito feliz. Sempre acreditei em Deus, mas não tenho  conseguido dormir. Deitei por volta da uma hora da manhã e às 5 horas da madrugada estava em pé. Não havia ainda escutado os agentes passarem para fazer a revista nas celas”, contou emocionado.

O homem que é evangélico e que sempre acreditou que, apesar das denúncias, tudo acabaria bem disse que antes de sair definitivamente do CDP se despediu de todos os amigos que fez no Centro de Detenção. “Agradeci aos agentes, os presos  de cela, todos. Ninguém me fez mal lá dentro”.

Após ter saído da prisão pode “matar a vontade” de um bom jantar. “Juscelino me levou para uma churrascaria e pude me alimentar bem. Em seguida, quando cheguei na creche tinham preparado uma festa surpresa para mim. Com faixas de boas vindas, com minha família, com meus amigos, com a vizinhança. Foi emocionante”.

O advogado informou que vai entrar na justiça contra o Estado e que vai pedir uma indenização de um milhão de reais por danos morais. “Meu cliente foi preso com base no depoimento de um menino de dez anos. Sem prova alguma. Sem fundamento nenhum”.

Todos os laudos de conjunção carnal realizados nas supostas vítimas do Lar Feliz e emitido pelo  Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) deram negativo. 

Memória

No dia 8 de julho passado, uma coletiva foi realizada pelos juizes: Sérgio Maia e José Dantas, pela promotora Armeli Brennand e pela delegada Adriana Shirley onde foi revelado à imprensa que duas pessoas que trabalhavam no Lar Feliz estavam envolvidas com atos libidinosos e que um deles era suspeito de ter violentado sexualmente dez crianças que moravam na instituição. O sogro (55 anos) e o genro (34 anos) foram presos. Cerca de 30 dias depois, o homem de 55 anos foi solto, mas o outro continuou detido. A denúncia teria chegado ao MP depois de uma arquiteta ter adotado um menino de 10 anos na creche. O garotinho havia tentado fazer sexo com uma criança no condomínio onde ele morava com a mãe adotiva. Após saber o que o menino fez, a mulher questionou a criança que contou que era violentado na creche Lar Feliz.      


Deixe seu comentário!

Comentários

  • andrezza_pimenta

    Já fui vítima de um \"Promotor de INjustiça\", o bom moço, fantasiou suas loucuras em um pedaço de papel, que o mesmo deveria ter usado em alguma parte de seu corpo, e me acusou de MENTOR INTELECTUAL de vários crimes, O CABEÇA....., o que TUDO PLANEJOU..... Nunca apresentaram provas, nunca conseguiram sequer um menino de 10 anos, que se pronunciasse contra minha pessoa. Mas vão-se os aneis e ficam os dedos, para que eu possa algum dia, mostrar-lhe pelo menos o dedo anular, enrijecido, para sua face.. PROMOTORZINHO DE M..... A vida é longa.... O mundo gira.......

  • jacomegama

    jba 1960@ acertou na sua opinião, uma temporada de ferias no CDP da Ribeira para essa cambada de irresponsáveis seria bom para eles refletirema sobre sua truculencia e autoritarismo!

  • miguelcruzp

    Deixem de bobagem com essa estória de imposto. É só um milhão, o filho de Vilma roubou 36 milhões desse seu mesmo imposto que falta na saúde, na educação e na segurança, etc, e ainda vai se eleger. Parem de falar que pagam impostos e aprendam a votar que é melhor. Todos nós pagamos impostos até em um confeito e o serviço público que vem de volta é pífio, assim como a eficiencia da lei no Brasil. Escolha bem o deputado federal que vc vai votar pra depois não ficarem reclamando que as instituições não funcionam no Brasil, pq aqui é assim o povo reclama mais não faz nada pra mudar, votando nos mesmos pra ficar mais 4 anos falando merda.

  • adrianoroberto.silva

    agora tem que a imprenssa divulgar bastante a inocencia desse homem de deus sob destruir agora tem que mostrar bastante o lado bom dessa historia sempre acreditei em você lindomar homem de deus

  • edysonhoserealidade

    Leia

  • bridaandrea

    Eu conheço os acusados deste caso ( foram meus vizinhos)!! A história sempre me pareceu mal contada uma vez que o lar feliz já fazia um trabalho filantrópico há muitos anos e nunca existiu essa conversa de abuso sexual. E agora como fica esta história ? Essas pessoas tiveram suas imagens manchadas e correram grande risco na prisão ... O menor que os acusou é filho de uma viciada em drogas e viu e viveu coisas terríveis com esta mãe drogada , é um produto do seu meio. Como sempre uma justiça negligente !