Aumenta taxa de homicídios no RN

Publicação: 25 de Fevereiro de 2011 às 00:00 | Comentários: 16
A+ A-
O Rio Grande do Norte é o sexto Estado do Brasil em aumento da Taxa de Homicídios entre os anos de 1998 e 2008. O dado está incluído no Mapa da Violência 2011, divulgado ontem pelo Ministério da Justiça e o Instituto Sangari. O Estado registrou em 2008, 23,2 homicídios para cada 100 mil habitantes, o que representa um crescimento de 172,8% em relação à taxa apontada em 1998, que era de apenas 8,5 homicídios. Com isso, o Rio Grande do Norte subiu da 24ª para 19ª posição no ranking dos estados mais violentos do Brasil.

emanuel amaralMapa da violência mostra que o aumento de assassinato de jovens no Rio Grande do Norte cresceu bem acima das médias do Brasil e de todas as regiões do paísMapa da violência mostra que o aumento de assassinato de jovens no Rio Grande do Norte cresceu bem acima das médias do Brasil e de todas as regiões do país
O aumento da violência no Estado é uma realidade que atinge praticamente toda a região Nordeste do País, onde o estudo aponta o maior crescimento nos números de mortes por causas externas violentas (homicídios, acidentes de trânsito e suicídios).

Dos 10 Estados que mais aumentaram os índices de homicídios na década estudada, sete são do Nordeste. A maior variação da taxa de homicídio foi registrada no Maranhão (297%), seguido da Bahia, Pará, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte,  Piauí, Minas Gerais, Goiás e Paraíba (ver quadro com variações).

Para se ter ideia da gravidade desses dados, basta comparar com o crescimento da taxa de homicídios do Brasil, que foi de apenas 1,9% em 10 anos, passando de 25,9 para 26,4 para cada 100 mil habitantes. O Mapa da Violência 2011 aponta o que se chama de “Interiorização da Violência”, pois os números mostram que os índices de homicídios nas capitais dos estados e nas Regiões Metropolitanas estão caindo significativamente.

Infelizmente, os dados das capitais dos estados do Nordeste vão de encontro a essa tendência. Enquanto que a taxa geral de homicídios em capitais do Brasil caiu 17,7% na década estudada, em Natal, por exemplo, esse número aumentou em 91,7%, passando de 16,2, para 31,1 homicídios para cada 100 mil habitantes. Esse crescimento coloca Natal entre as 10 capitais do País onde mais cresceu o número de homicídios. Esse ranking é liderado por Salvador – que teve aumento  de 289,1%, seguida por Maceió, São Luis, Curitiba, Aracaju, Florianópolis, Goiânia e Natal. Assim como o Rio Grande do Norte, os novos dados do Ministério da Justiça tira Natal da 24ª e a coloca na 19ª colocação no ranking entre as capitais mais violentas do País, fincando, inclusive, à frente do Rio de Janeiro, que fez o caminho inverso de Natal, e passou da 5ª para a 20ª colocação na lista.

O Mapa traz uma lista com as 100 cidades mais violentas no País. Do Rio Grande do Norte, o município de Caraúbas, distante 298 Km de Natal, é o único da lista. A cidade aparece em 92º lugar com uma taxa de homicídio de 57,4 por cada 100 mil habitantes.

O  Mapa da Violência também estudou os índices de homicídios de jovens com idade entre 15 e 24 anos. No RN, o aumento de assassinato de jovens cresceu bem acima das médias do Brasil e de todas as regiões do País.

Maior que o índice de crescimento do R N só mesmo o Maranhão (514,9%), Alagoas (343,7%), Bahia (343,4%), Pará (256,7%), Sergipe (249,1%) e Minas Gerais (227,5%). No ranking dos estados e capitais com maior taxa de homicídios de jovens, tanto o RN  como Natal ocupam a 19ª colocação. Na lista das 100 cidades brasileiras com maior índice de assassinato de jovens, a cidade de Mossoró aparece como a única citada do RN, com uma taxa de homicídio de 115,9 para cada 100 mil jovens, ocupando o 53º na lista nacional.O Mapa da Violência 2011 também estudou o número de mortes em acidentes de trânsito suicídios de jovens com idade entre 15 e 24 anos.

Especialista culpa ausência do policiamento ostensivo

A ausência do policiamento ostensivo e o aumento do consumo de drogas são, no ponto de vista do especialista em Direito Penal e Criminologia, Demétrio Dantas, fatores que contribuíram  para o aumento no número de homicídios em Natal.   

Dantas avalia que a situação na capital se agrava em bairros periféricos onde a presença da polícia é pequena. “Nos bairros centrais como Lagoa Nova, Petrópolis e até Capim Macio não visualizamos homicídios, porém nas localidades consideradas periféricas observamos constantemente execuções. O policiamento ostensivo nas regiões centrais é bem superior à periferia que pode contribuir para o aumento dos crimes”.  

O especialista aponta como fator preponderante para o crescimento no número de homicídios o pouco investimento por parte do Estado, em relação, à Segurança Pública o que também veio a favorecer o aumento do tráfico de drogas na capital. “Os entorpecentes ganharam  espaço. Os jovens se envolvem com drogas facilmente e não existe dúvidas de que a maioria deles morre vítima de acerto de contas”.

O comandante geral da PM coronel Francisco Canindé de Araújo Silva afirmou que ainda não  teve acesso ao mapa, mas é notório que o maior número de assassinatos registrados na capital é proveniente de acerto de contas. “Nos últimos cinco anos a maioria das mortes ocorre entre jovens de 14 e 25 anos vítimas de acertos de contas”.

Araújo enfatizou que o policiamento ostensivo é realizado. “É para a manutenção da ordem pública, mas crimes encomendados os policiais não têm como evitar. Os acertos de conta independem da ostensividade realizada pela PM”.            

Apesar das tentativas, o secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte Aldair Rocha não atendeu às ligações da TRIBUNA DO NORTE.

Para o pesquisador em Segurança Pública e coordenador para a região Nordeste da Ong Movimento Viva Brasil Fabrício Rebelo a pesquisa mostra a  quebra de dois paradigmas que durante anos foram base de estudos, debates e campanhas: os de que a violência e  a criminalidade são combatidas com desarmamento da população e distribuição de renda. Mesmo apresentando, de acordo com dados da Polícia Federal, o menor número de armas legais do Brasil, e tendo sido a região com o maior desenvolvimento econômico do país, o Nordeste tem hoje as mais altas taxas de homicídios e de violência em geral. “O desarmamento não desarma o criminoso que está munido com armas de grosso calibre”, diz.

Rebelo disse que hoje o país vive um problema sério quanto ao combate ao tráfico de drogas  e que não existe politica de repressão à violência que passa pelo reaparelhamento da polícia. “Precisamos de uma polícia equipada, de policiais bem remunerados e ainda do cumprimento da legislação penal. Não adianta prender hoje e soltar amanhã”.

Itep

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) com sede em Natal registrou do dia 1º de janeiro deste ano até o final da tarde de ontem 87 homicídios na capital, região metropolitana e cidades circunvizinhas. Os números apontam, exatamente, o que o especialista em Direito Penal e Criminologia Demétrio Dantas revelou. Na maioria esmagadora dos casos, os assassinatos foram computados em regiões periféricas: Cidade Nova, Planalto, Felipe Camarão, Quintas, Bom Pastor, Jardim Progresso, Guarapes, Rocas, Igapó e até no bairro do Alecrim. Em 95% dos casos os assassinatos foram consumados com o emprego de arma de fogo, ou seja, o desarmamento não funciona para os criminosos.  


Deixe seu comentário!

Comentários

  • landerson.c

    Esses altos indices nada mais são do que o reflexo do descaso de nossos governantes com a segurança pública e também pela falta de politicas públicas voltadas para a prevenção da marginalidade entre os jovens, que são os principais \"atores\" desses indices, enquanto isso, Pernambuco vem intensificando ainda mais seus trabalhos no que diz respeito a prevenção e vem investindo mais e mais em segurança pública o que fizeram deles o 3º da lista em que por vários anos oculparam a 1ª posição. Rosalba, faça mais visitas aos estados que tem um governo ativo e comprometido com a população e ao menos tente fazer algo parecido.

  • daniel.venturi

    Parabéns pela reportagem. E o nosso novo ministro da justiça quer desarmar ainda mais a população civil. Por que o PT até agora não conseguiu desarmar os bandidos? E o tráfico de drogas, corre lindo, leve e solto.

  • batistafn

    Ótima as reportagens espero q continuem assim parabens a Tribuna do Norte os demais jornais deveria cópia-lo.

  • cjs.neto

    Enquanto isso 509 POLICIAIS CIVIS, formados e prontos para trabalhar há 3 meses, estam só esperando a boa vontade do governo para aumentar o efetivo da POLICIA CIVIL que é a responsável por apurar os homicídios!!!

  • wjalmeida

    Corroborando as palavras do Sr. Fabrício Rebelo, o estudo mostra o que já é sabido pela grande maioria da população, que no Referendo de 2005 do \"Estatuto do Desarmamento\" optou pelo \"Não\". A história mostra que em TODOS os locais em que a população civil foi desarmada, houve crescimento exponencial da violência por uma razão muito simples: O braço da Lei alcança quem a segue. Bandido não se preocupa com leis!

  • ivanmaxlacerda

    Na verdade as políticas de segurança pública federais e da maioria dos estados é falha ou inexiste. E os governantes e autoridades de segurança sem saber o que fazer só sabem repetir que a solução é o desarmamento da população civil honesta. Pois bem, a população foi desarmada e cadê o resultado?

  • whagnerllovve

    É LAMENTÁVEL!!! MAS TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO EM NOSSO ESTADO RESULTA NAS ADMINISTRAÇÕES TANTO DO GOVERNO COMO DA PREFEITURA. ESSA TAXA E TODOS ESSES CÁLCULOS DA PESQUISA EU QUE DEVE SENSIBILIZAR OS ORGÃO PÚBLICOS DO MODO GERAL. E SE AGORA NÃO MUDAR NADA NA ÁREA DA SEGURANÇA COM TODO ESSE RALATÓRIO, EU ACHO QUE VAI SER DIFÍCIL SE DEIXAR PRA MUDAR AMANHÃ OU DEPOIS. POIS JA QUEM JA LEU TALVEZ SE FASSA DE ESQUECIDO E NÃO VAI DAR NEM AMÍNIMA... ENTÃO NOS RESTA ESPERAR MAS 10 ANOS DE PESQUISA SERÁ QUE VOU TA VIVO PRA LER E COMENTAR SOBRE O NOVO ARTIGO PUBLICADO? SO NOS RESTA ESPERAR..................... ENCANÇADAMENTE!!!

  • s_konishi

    Acredito que uma população desarmada seria como o porco espinho sem seus espinhos, estaria desprotegido contra seus predadores. Nosso policia por mais que tente, não poderá estar ao meu lado 24 hs por dia. Não sou politico nem milionario para poder pagar por segurança armado para me acompanhar. A população suiça é uma das mais armadas do mundo, e lá os homicidios com armas de fogo são praticamente zero.

  • marcaiv

    Gostaria agora que os ONGs e o Ministerio da Justiça explicasse esses dados, pois até agora sempre culparam as armas legais que estão na mão da população.

  • robertinhotm

    Ótima matéria ! Fico me perguntando se esse descaso c\\a Segurança Publica não é proposital p\\ justificar a criação de mais um movimento desarmarmentista visando desarmar os homens de bem . sds

  • andreabrasuca

    Olha a noticia!!!

  • rogerioroger2011

    O RN não investe em segurança pública, por isso apresenta esses dados. Mais de 500 aprovados no concurso da polícia civil aguradam nomeação desde o ano passado e até agora nada. A governadora Rosalba deveria honrar o voto daqueles que lhe confiaram.

  • macdovell

    Se o delinquente sabe que não vai demorar na cadeia, não teme praticar seus crimes. A polícia civil não tem como finalizar os inquéritos abertos diariamente. É muito trabalho pra pouca gente. Enquanto isso o povo do governo finge que não tem nada com isso, porque \"pegaram o Estado desmantelado\". O mesmo discurso da prefeita. Se espera que a forma de administrar não seja.

  • alberto.oliveira

    Descaso e irresponsabilidade do governo do DEM. Ministério Público onde atua? Para quem atua? Estamos desamparados.

  • landerson.c

    Eu fico me perguntando, pra quê homem de bem armado??

  • fla1317

    Está começando acontecer.