Bancários de Natal entram em greve a partir de hoje

Publicação: 2012-09-18 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
Os bancários do Rio Grande do Norte entram em greve por tempo indeterminado a partir de hoje. A decisão foi tomada em assembleia realizada na noite de ontem na Escola Estadual Winston Churchill. A categoria vai se dividir em piquetes em frente às agências de Natal e do interior de bancos públicos e privados. Com a greve, a população só vai ter acesso aos serviços que não dependem dos funcionários. Os pagamentos de contas devem ser feitos em caixas eletrônicos, lotéricas, correspondentes bancários e internet.
Adriano AbreuIndicativo de greve foi aprovado em assembleia realizada no colégio Winston Churchill, em NatalIndicativo de greve foi aprovado em assembleia realizada no colégio Winston Churchill, em Natal

Os correspondentes bancários recebem contas de plano de saúde, TV por assinatura, cartão de crédito, água, luz, telefone, boletos, financiamentos com código de barras, com valor de até mil reais. Os saques, depósitos, transferências também devem ser feitos nos caixas eletrônicos. Aquele que precisar do serviço personalizado vai encontrar dificuldades.

“Infelizmente vai haver transtornos para a população, mas não vemos outra saída para a nossa luta. Desde 1º de agosto entregamos nossa pauta de reivindicação aos banqueiros e ele não negociam com a categoria”, disse a diretora geral do Sindicato dos Bancários, Marta Turra

Na pauta da categoria estão: luta por melhores condições de trabalho, reajuste de 23%, reposição das perdas salariais a partir de julho de 1994, estabilidade do emprego nos bancos privados, isonomia entre funcionários novos e antigos, o fim do assédio moral nas agências,  cumprimento da lei municipal das filas, redução da taxa de juros e contratação de mais funcionários.

A greve é nacional e foi confirmada ontem em assembleias realizadas em todos os Estados. Os banqueiros apresentaram proposta de reajuste linear para salários, pisos e benefícios de 6%. “As expectativas que eles (bancários) demonstram estão fora da realidade que a economia está vivendo. Este ano a economia está muito indefinida. Precisamos de certa cautela para fazer acordos”, justificou o diretor de Relações de Trabalho da Fenaban, Magnus Ribas Apostólico.

Ontem, os bancários voltaram a se reunir em assembleias para organizar a greve. “As assembleias não vão apreciar nada; são meramente organizativas. Avisamos desde o dia 5 e até o momento não recebemos nenhuma nova proposta”, disse o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Carlos Cordeiro.

“Eles estão querendo ver o tamanho da greve. No ano passado, de 18 mil agências, chegamos a 10 mil paralisadas. A expectativa é de mobilização no mínimo igual a do ano passado”, afirmou Cordeiro. Em 2011, os bancários conseguiram reajuste de 9%, com 1,5% de aumento real. “Neste ano, o que eles ofereceram dá só 0,58% de aumento real”, diz o presidente da Contraf.

Ribas contesta a avaliação dos bancários de que a Fenaban não está disposta a negociar: “Nós dissemos a eles: avaliem a proposta, vejam se existe alguma coisa que precisa ser feita de forma diferenciada, que nós levaremos aos bancos”. De acordo com ele, a Fenaban está disposta a fechar acordo com os bancários, mas tem limitações. “Temos uma convenção coletiva bastante cara com muitos benefícios. É possível evoluir, mas não é possível fazer grandes saltos”, afirmou. “Greve é ruim para banco, bancário, população. Nós estamos saindo de uma série de greves ao serviço publico e gostaríamos de evitar isso (a paralisação)”, disse Ribas.

Além do reajuste salarial, os trabalhadores pleiteiam mudanças na participação nos lucros e resultados (PLR) e em outras questões econômicas. A proposta da Fenaban foi de PLR de 90% do salário acrescido de valor fixo de R$ 1.484,00, podendo chegar a 2,2 salários de cada empregado. A reivindicação dos bancários à Fenaban é de PLR de três salários mais R$ 4.961,25 de parcela fixa.



Deixe seu comentário!

Comentários

  • deborasantos

    Só vejo comentários de pessoas ALIENADAS e acomodadas nessa Tribuna do Norte. Toda vida que uma categoria faz greve ou algo do tipo, os alienados da TN vêm aqui reclamando. Quando os rodoviários fazem, reclamam; Quando os professores fazem, reclamam; Quando os estudantes protestam, reclamam. Caramba, vocês reclamam de tudo e não fazem nada. Por isso que Natal e o RN estão desse jeito. Por causa de vocês, povinho de terceiro mundo, nunca vai sair disso, mas eu acho é pouco porque vocês merecem. Quanto a mim, eu quero mais que Natal se exploda, pois se está assim foi por culpa da população.

  • paineto

    É UMA FALTA DE RESPEITO SUMIREM COM OS ENVELOPES PARA DEPÓSITOS NO BANCO DO BRASIL. O sistema de compensação de cheque continua funcionando e não há como fazer depósito para evitar que o cheque volte sem fundos...ISSO É UM ABSURDO!!! Podem fazer greve mas deixem pelo menos a população não passar por constrangimentos de ter cheques devolvidos. Fiquei furioso na agência do Banco do Brasil da Av. Ayrton Senna quando lá me informaram que não tinha envelope para depósito e hoje entra um cheque que vai voltar sem fundos. O sindicato dos bancários vai ressarcir os prejuízos????

  • antonioni.rocha

    luiztrindade53, se as greves estão abusivas é porque há algo errado 'do lado de lá' (e você sabe disso, pois considera esta justa). Se quiser pode opinar sobre outros meios de reivindicar os direitos dos trabalhadores (buzinaço não adianta de nada), pode ser muito importante suas idéias para a categoria.

  • ibiz_soares

    É interessante como as pessoas só vêem seus proprios humbigos.Quando os políticos roubam,corrompem,abusam do poder e etc, as pessoas reclamam,criticam mas acabam aceitando como normal.Quando uma categoria de trabalhadores vai a luta por seus direitos ai todos acham abusivo,coisa de vagabundos.Vão crescer e procurar votar com consciencia!

  • rogeriopessoabr

    Pow véi! De novo? Aquela greve passada foi um inferno pra minha vida, terei que viver esse pesadelo de novo? onde estão os nossos direitos? ACHA POUCO O QUE GANHA? SAIA E PROCURE OUTRA LAVAGEM DE ROUPA POW!!

  • marcosasbarbosa

    Sou a favor da reivindicação justa feita pelo trabalhador, porém contra o desrespeito ao cliente antes do início do movimento paredista. Aí é abusar demais do direito do cidadão. Não significa dizer que durante a greve eu concorde com o desrespeito aos clientes, mas não se pode negar que a greve em si é um desrespeito ao cidadão que não tem nada a ver com o problema. Ontem, por exemplo, numa agência de um banco público locallizado na Ribeira, uma funcionária insinuou em alto e bom som que alguns terminais eletrônicos para depósitos estavam inativos de propósito, um dia antes de iniciar a greve. Não sabe ela que o lucro astronômico do banco só acontece por causa da carteira de clientes? Em relação às instituições privadas, essa funcionária que está insatisfeita com seu salário e age com desdém, porque sabe que não pode ser demitida por arrogância, ganha muito bem obrigado, porém, no sistema capitalista a vontade de ter mais nunca vai deixar de existir. Que lute, mas respeite aqueles que contribuem para mantê-la no emprego.