Corte nos salários da prefeitura pode ser de 15%

Publicação: 2013-07-20 00:00:00 | Comentários: 1
A+ A-
Maria da Guia Dantas - Repórter

A contratação da empresa Falconi Consultoria custará R$ 4 milhões à Prefeitura de Natal, segundo informou o prefeito Carlos Eduardo (PDT), ontem, durante entrevista coletiva. Incluído no pacote, cujo contrato será assinado na segunda-feira (29), estará uma auditoria na folha de pessoal, a formatação de uma reforma administrativa e a concepção de uma estratégia que vise aumentar a receita e diminuir a despesa. O custo-benefício para a aquisição do serviço, citam interlocutores da Prefeitura, é indiscutivelmente favorável. E a Falconi, previamente, tratou de comprovar essa tese. Um levantamento elaborado pela consultora estimou uma possível redução dos custos com salários de pelo menos 15%. A título de exemplo, o percentual representa aproximadamente R$ 11,5 milhões dos R$ 768,3 milhões consolidados com o folha ano passado. E a título de aviso: já é certo que muitas serão as remunerações alteradas. E para menos.
Marco PoloCarlos Eduardo fala sobre metas e prioridades nos primeiros 200 dias de gestão na capitalCarlos Eduardo fala sobre metas e prioridades nos primeiros 200 dias de gestão na capital

Carlos Eduardo explicou que o pagamento da consultoria não será feito exclusivamente pela Prefeitura. Recentemente integrado ao programa do Governo Federal, denominado “Movimento Brasil Competitivo” (MBC), o município de Natal conseguiu viabilizar via MBC, até agora, R$ 500 mil dos R$ 4 milhões necessários. “Temos prometidos outros R$ 1,5 milhão”, disse o prefeito. Mas de acordo com o chefe do Executivo natalense, se até o dia 29 deste mês, data da oficialização do contrato, os recursos não tiverem sido viabilizados, o município arcará de alguma forma com as despesas. “Se isso ocorrer nós vamos levantar todas as possibilidades orçamentárias e vamos arcar”, garantiu Carlos Eduardo.

A previsão de permanência da Falconi em Natal é de oito a dez meses. Os trabalhos terão início com a auditoria na folha e concomitantemente serão realizados os trabalhos da reforma administrativa e os que visam promover uma guinada na receita do município. “Não é nada de aumento em impostos, tarifas, não é isso. Vamos viabilizar estratégias para melhorar a arrecadação”, sentenciou Carlos Eduardo. O orçamento da Prefeitura, seja no que concerne a investimentos, seja no binômio receita/despesa, delineou a coletiva concedida à imprensa e que contou com a participação de secretários e vereadores.

O evento ocorreu na sede da Prefeitura e a pontualidade do atual prefeito é algo tão incomum no ramo da política/administração que chega a surpreender jornalistas, e põe constrangidos auxiliares com o ponteiro do relógio atrasado. Para começar, Carlos Eduardo fez uma explanação sobre o trabalho realizado nos 200 primeiros dias, sobre o futuro, sem esquecer de “obstáculos quase intransponíveis face o desastre administrativo da gestão passada”. Ele pontuou que são três as metas que estão sendo perseguidas, na sua opinião, com êxito. A primeira delas é a  normalização dos serviços básicos; a segunda a recuperação das obras de mobilidade; e a terceira a contratação da consultoria que terá a missão de otimizar a receita da administração, passar a tesoura em despesas, organizar a estrutura da máquina pública e fazer funcionar a contento a Prefeitura.

“Perseguimos todas essas mudanças e não foi fácil conseguirmos iniciar o ano letivo, iniciar as obras de mobilidade, salvar unidades de saúde. Não foi fácil. Mas com muito trabalho e comprometimento estamos conseguindo”, concluiu o prefeito.





Deixe seu comentário!

Comentários

  • gmsales3205

    Prefeito diminua os salários dos seus comissionados, daqueles que ajudaram a te eleger. Os funcionários não tem culpa do inchasso da máquina pública não. Estamos de olhos bem abertos, para qualquer manobra errada, tenha cuidado.