Desempenho da PF/RN fica entre os piores do ano

Publicação: 15 de Janeiro de 2012 às 00:00 | Comentários: 1
A+ A-
Andrey Ricardo
Mossoró

A Polícia Federal divulgou uma pesquisa mostrando o desempenho da instituição em todos os Estados brasileiros em 2011. A PF norte-rio-grandense apresentou um desempenho tímido diante dos outros oito estados que compõem a região Nordeste. Foram 24 prisões em sete operações, o que coloca o Rio Grande do Norte em penúltimo lugar neste quesito. Nessa relação prisão/operações, o Piauí ficou em primeiro e Pernambuco em último. Em número de ações, a PF potiguar ficou em quarto.
Alex RégisInvestigação de denúncias envolvendo convênio da Epa foi uma das sete executadas pela PF em 2011Investigação de denúncias envolvendo convênio da Epa foi uma das sete executadas pela PF em 2011

Nessa relação, a  Polícia Federal realizou uma média de 3,4 prisões por cada operação realizada no Rio Grande do Norte. Das sete ações executadas em solo potiguar durante 2011, a que apresentou maior volume foi batizada de “Matadores de Aluguel”, que resultou na prisão de sete pessoas, todas acusadas de envolvimento no assassinato do jornalista Edinaldo Figueira, morto no dia 15 de junho desse ano, em Serra do Mel. Foram presas pela PF, com ajuda da Polícia Civil do RN, pessoas acusadas da execução, direta e indiretamente, e o mandante. A média de prisões do Piauí, o primeiro neste quesito, foi de quase 15 presos por operação.

O estado da Bahia lidera as estatísticas entre os nordestinos nos quesitos quantidade de pessoas presas e número de atividades realizadas no ano passado. Enquanto o Rio Grande do Norte realizou sete operações, a Bahia colocou em prática quinze, resultando na prisão de 90 pessoas. No entanto, verificando a relação prisão/operações, a Bahia fica bem atrás de outros Estados, ocupando a sexta posição. É que numa única operação, dezenas de pessoas foram presas ao mesmo tempo pela PF em outros Estados nordestinos. É o caso da ação batizada como Geleira, da PF do Piauí, onde 37 foram presos. Em Alagoas, foram 30 prisões na “CID-F”.

No Rio Grande do Norte, os meses mais produtivos, segundo a estatística divulgada pelo no site oficial da Polícia Federal, foram setembro e dezembro, com duas operações cada um deles. Diferente de outros Estados, as ações potiguares apresentaram, na maioria dos casos, um número reduzido de recolhidos. A segunda maior, em volume, foi batizada como “Macambira”, quando sete foram colocados detrás das grades por tráfico de entorpecentes. A ação foi realizada na região Seridó do RN, com apoio da PF da Paraíba, onde três foram presos. Os outros quatro foram no RN.

Entre os nove estados nordestinos, o Maranhão foi o que mais teve prisão de servidores públicos, geralmente ligados a esquemas de corrupção. Só a PF de lá conseguiu retirar de circulação 14 funcionários de órgãos estatais. Isso representa mais de 25% de todo o trabalho que foi feito no Maranhão (foram 55 prisões realizadas). O segundo colocado é Alagoas, com 11 servidores, de um total de 46. O Rio Grande do Norte e mais dois estados nordestinos não aparecem na lista. Ao todo, 43 servidores públicos foram presos na região Nordeste do Brasil, o que equivale a cerca de 11,63% do total das prisões (foram 396 presos só no Nonrdeste).

Combate ao tráfico é comemorado

A Polícia Federal do Rio Grande do Norte ficou numa posição ruim na estatística regional, mas as ações voltadas para o combate ao tráfico de entorpecentes foi motivo de comemoração durante 2011. Mais de uma tonelada de drogas foi apreendida só no RN. Em comparação a 2010, o aumento foi de mais de 100%.

As sete operações registradas na estatística do desempenho nacional referem-se somente àquelas que tiveram maior repercussão e foram batizadas, prática que vem sido adotada pela PF recentemente.

Por isso, a quantidade de prisões e operações é bem maior, segundo destacou a PF norte-rio-grandense através da sua assessoria de comunicação.

A droga mais presente nas apreensões continua sendo a maconha, seguida pelo crack. Quase 50 pessoas foram presas acusadas de tráfico de drogas.

No topo das drogas apreendidas está a maconha. Foram 871 kg retirados das ruas em operações da Polícia Federal. Em segundo lugar está o crack, com 255,7 quilos apreendidos.

Há ainda apreensão em grandes volumes de cocaína e pasta-base. Esta segunda é uma espécie de droga ainda em estado bruto, que passaria por um processo para ser transformada em crack e proporcionar um lucro bem maior.

Em termos comparativos, em 2010, a PF havia apreendido no RN, quase 400 kg de drogas ilícitas (393,5 kg).



Deixe seu comentário!

Comentários

  • jorgeeufrasio

    Parabéns aos policiais federais e ao seu corpo funcional como um todo. A PF no RN tem se mostrado eficiente no combate ao crime. A DRE, os meus sinceros agradecimentos como cidadão e homem de família. Um feliz 2012 a todos que fazem esse conceituado departamento.