Fundac reativa hoje Ceduc Nazaré

Publicação: 26 de Junho de 2013 às 00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Valdir Julião - repórter

O prédio ainda tem alguma precariedade, mas a Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (Fundac) vai reativar, nesta quarta-feira (26), o Centro de Educação (Ceduc) de Nazaré, na região Oeste de Natal. A reabertura se dará depois de feitos os reparos nos dormitórios incendiados durante uma rebelião ocorrida  em 22 de março deste ano, que ocasionou a morte a facadas de um adolescente de 17 anos.
João Maria AlvesA reabertura acontecerá após alguns reparos internos na estrutura, mas a unidade, segundo o juiz José Dantas, precisa de ampliaçãoA reabertura acontecerá após alguns reparos internos na estrutura, mas a unidade, segundo o juiz José Dantas, precisa de ampliação

Embora estivesse entrando de férias, o juiz da 1ª Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Natal, José Dantas de Paiva, esteve na manhã desta terça-feira (25) na unidade, situada na rua Tiradentes, e confirmou que o Ceduc Nazaré, com capacidade para abrigar 20 adolescentes em regime de semiliberdade, vai receber os 12 adolescentes “que já estavam lá quando fechamos a unidade”.

João Maria AlvesCozinha: grade de ferro para evitar retirada de objetos cortantesCozinha: grade de ferro para evitar retirada de objetos cortantes
José Dantas de Paiva informou que o juiz Homero Lechner, o qual vem atuando como substituto na 1ª Vara da Infância e da Juventude, é quem deve acompanhar o retorno  desses adolescentes. “Os adolescentes estão em casa com as famílias, que vão trazê-los de volta, para os que não voltarem espontaneamente, expediremos mandados de busca e apreensão aonde eles estiverem para trazê-los para o Ceduc”, explicou José Dantas.

José Dantas destacou que o Ceduc Nazaré será reaberto – praticamente cem dias depois da rebelião e do seu fechamento – para atender a demanda parcialmente. “Ainda não será o que queremos, porque a unidade tem de ser ampliada e melhorado o atendimento, foi feito lá uma pintura para ser reaberta precariamente e atender uma demanda reprimida, por não ter para onde mandar os adolescentes”.

José Dantas acrescentou que já existe uma promessa da Fundac de fazer uma reforma ampla e definitiva do prédio, onde originalmente funcionou uma creche municipal. Para receber o Ceduc o local foi adaptado e passou por uma recuperação em março de 2010, último ano do segundo governo Wilma de Faria.

José Dantas lembrou que os recursos destinados à minirreforma saíram do bloqueio de R$ 11.800,37 mil da conta única do governo por determinação do juiz Homero Lechner em 17 de maio. O magistrado também determinou o bloqueio de R$ 405.202,80 para a aquisição de material de expediente e de equipamentos a serem usados nas atividades socioeducativas e profissionalizantes nas sete unidades da Fundac em Natal e no interior - duas em Mossoró e uma em Caicó.

O presidente da Fundac, Getúlio Batista da Silva Neto, confirmou que o fechamento do Ceduc Nazaré em março deste ano foi fruto de um acordo feito com a Vara da Infância e da Juventude para a execução de pequenos reparos em dois alojamentos. “Fizemos mágica com os R$ 11 mil”, disse ele.

Ampliação da estrutura

Getúlio Batista acrescentou que  uma equipe técnica da Fundac já elaborou uma planilha de custos para a execução de uma reforma maior, que contemplará a elevação e construção de muros de concreto, onde também será colocada serpentina (uma espécie de arame farpado) de portões  de ferros com espessura maior, embora falte garantir os recursos financeiros e um cronograma para início das obras.

A assistente social Ana Rosa Vidal Ferreira está há um mês e pouco no cargo e ratificou que, realmente, houve o conserto da área interna dos dormitórios, com pintura das paredes, recuperação das instalações elétricas e hidráulicas, além da sala de vistoria, onde estava faltando colocar uma porta, mas ficaram de fora da reforma o setor da administração e outros setores, como as salas de visita, recepção, e convivência dos adolescentes que estão cumprindo medidas privativas de  liberdade.

Ana Rosa Ferreira também informou que foi colocada uma grade de ferro na entrada da cozinha, onde não existia e, por isso, os adolescentes por ocasião da rebelião de 22 de março arrombaram a porta e levaram uma faca para churrasco, usada para matar o adolescente Leonardo Costa da Silva.

Apesar do conserto realizado nos dois dormitórios, ainda se viu a falta de cerâmica em dois pontos próximos de duas camas de alvenaria (cada alojamento tem cinco camas), pequenas  infiltrações d’água na laje, decorrentes das chuvas de junho. As partes externas das paredes não foram pintadas.



Deixe seu comentário!

Comentários