Furacão Sandy: mais de 48 morrem nos EUA e prejuízo passa de US$ 10 bilhões

Publicação: 31 de Outubro de 2012 às 07:26 | Comentários: 0
A+ A-
As informações mais recentes sobre o furacão Sandy apontam para 48 mortos nos Estados Unidos, sendo 18 desses na região de Nova York. A falta de energia e as inundações além da queda de árvores, causam os maiores danos na área. O Sandy entrou nos EUA pela costa Leste do país e os dados finais sobre a passagem ainda estão sendo levantados.
mark lennihan/ap/estadão conteúdoCasal observa ruínas de residências em Ocean Avenue, na área de Breezy Point, em Nova York, após passagem do furacão SandyCasal observa ruínas de residências em Ocean Avenue, na área de Breezy Point, em Nova York, após passagem do furacão Sandy

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, definiu o furacão Sandy como "uma tempestade devastadora, talvez a pior que assistimos". O furacão segue para o Canadá após a passagem pelo Caribe, onde morreram cerca de 67 pessoas.

O Hospital da Universidade de Nova York foi obrigado a transferir mais de 200 pacientes, incluindo bebês e crianças devido a falta de energia e ao não funcionamento do gerador.

Prejuízos

As autoridades ainda não têm o valor definitivo de todo o prejuízo causado pelo furacão mas consultores de gestão avaliam os danos entre US$ 10 e US$ 20 bilhões. Já economistas calculam uma perda próxima a US$ 40 bilhões.

Devido à grande destruição, o presidente da Consultoria de Gestão de Risco Eqecat, Bill Keogh afirma que a estimativa final demorará a sair. "Estamos ainda fazendo os levantamentos", disse lembrando que o Sandy se configurou como um dos piores furacões registrados nos Estados Unidos.

Já a empresa de consultoria econômica IHS prevê um prejuízo entre 0,2% e 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano. "Uma parte dessas perdas será compensada pelas atividades posteriores ligadas à reconstrução", informou a IHS.

O professor Peter Morici, da Universidade de Maryland, avalia que os desastres podem ser benéficos à economia. De acordo com Morici, episódios como este podem dar um impulso importante ao setor de construção civil, que está em dificuldades.

Jim O'Sullivan, analista da HFE, disse que o furacão Katrina, considerado também um dos piores a atingir os Estados Unidos, teve "impacto mínimo" no PIB do país.

Prioridades

Visando recuperar o país da atuação destruição das áreas atingidas, o governo pretende priorizar o abastecimento de combustível e energia. A decisão foi anunciada pelo presidente Barack Obama que chamou a medida de "prioridade máxima". A passagem do Sandy atingiu a distribuição de combustível principalmente nas regiões de Nova York e Nova Jersey.

8 milhões de pessoas também sofrem com a falta de energia em 15 estados americanos. O assunto foi discutido entre o presidente e representantes dos setores de energia e combustíveis do país.

Em comunicado Obama informou as orientações passadas ao secretário da Energia, Stephen Chu, a Craig Fugate, administrador da agência Federal para a Gestão de Emergências, e aos executivos de empresas de eletricidade. "A orientação é para que as agências eliminem qualquer burocracia que possam enfrentar as empresas e que suas equipes evitem atrasos nos esforços para a retomada de abastecimento de eletricidade", diz o informe.

O secretário de Transportes dos Estados Unidos, Ray LaHood disse que a agência gastou US$ 13 milhões para ajudar Nova York e Rhode Island na limpeza e reconstrução. O governo norte-americano deve repassar recursos para demais regiões do país.


Deixe seu comentário!

Comentários