O “peeling” de ouro

Publicação: 21 de Fevereiro de 2010 às 00:00 | Comentários: 1
A+ A-
Dr.  Jorge Boucinhas [ médico e professor da UFRN ]

Já se tratou bastante, nesta coluna, sobre os Peelings, procedimentos capazes de corrigir marcas, manchas e alterações cutâneas associadas ao envelhecimento, com eles conseguindo-se melhorar a aparência e a qualidade da pele. Eles retiram camadas celulares que logo são regeneradas, proporcionando à cútis um aspecto novo através da renovação das células que permaneceram subjacentes com capacidade de reproduzir-se.

Seus resultados são, como regra geral, tanto mais aparentes quanto mais profundos, porém, proporcionalmente à maior penetração, aumentam também os riscos e o desconforto durante a intervenção e o tempo que a segue. Já foi até escrito chegar-se ao ponto de um profundo, de fenol, só poder ser realizado sob sedação ou anestesia geral, com apoio de Médico Anestesista, devido à dor que pode causar, enquanto que os de ação mais externa acarretam apenas ardor, que pode ser mais ou menos intenso.

As manchas de pele constituem-se num dos mais comuns e mais declarados inimigos de mulheres e homens ciosos de sua estética pessoal. As manchinhas denominadas efélides (sardas) e o Melasma superficial (manchas amplas, sem elevação em superfície), assim como as asperezas leves da pele (que dão a textura tipo “lixinha”) ficam geralmente na epiderme, sua camada mais externa. Já as hiperpigmentações pós-inflamatórias (que ocorre após lesões) e os melasmas profundos são usualmente mistos, em parte superficiais, em parte profundos, atingindo a epiderme e a derme. Já as manchas de cicatrizes de acne são alterações próprias da derme (camada mais profunda da cútis). Assim, pode-se ver que, dependendo do grau, tem-se indicação da profundidade eficiente e pode-se optar pelo tratamento de melhor resultado provável.

O Melasma, dentre todas as lesões citadas, merece considerações especiais. É, de longe, a condição cromática antiestética mais comum a afetar a pele, caracterizando-se por manchas de cor marrom ou mesmo, por vezes, quase negra. Julga-se ser devido à estimulação dos melanócitos (células que contém melanina) por variações nos níveis hormonais femininos, pelo que, embora possa afetar qualquer um, sua prevalência é muito maior nas filhas de Eva, sendo frequentemente desencadeada por gravidez, Terapia de Reposição Hormonal e uso de contraceptivos orais.    Embora não seja uma condição que ofereça riscos quaisquer, tem forte apelo emocional, fazendo com que muitas vezes a pessoa acometida sinta-se envergonhada com o aspecto de sua pele e fique minada sua autoconfiança.

Neste caso, da mesma forma que no de outras “discromias” (alterações da coloração da pele) há,  hodiernamente, muitas opções de tratamento, especialmente dentre os Peelings, mas o “Peeling de Ouro” tem-se mostrado a opção mais eficaz. Na verdade, apesar do nome, mais que de um Peeling trata-se de uma “máscara” de produtos rejuvenescedores e clareadores de pele, sendo deixada sobre o tegumento cutâneo por período de 12 a 24 horas. De fato, este é seu único inconveniente, pois deixa a paciente com aspecto amarelo-esverdeado por tal período de tempo (fica parecendo um extra-terrestre, quiçá um marciano!), sendo que algumas então optam por afastar-se das atividades sociais por este intervalo de tempo – embora nem todas importem-se tanto, levando em consideração primeiramente o resultado almejado!

Após a retirada da “máscara”, passa-se, na mesma noite, a empregar um cosmecêutico especialmente preparado para aumentar seus efeitos terapêuticos.   O período de tempo para uso do produto, prescrito em gel ou creme ou creme-gel segundo o tipo de pele da paciente, é indeterminado, dependendo da evolução, a qual, obviamente, varia de uma pessoa a outra.   Mantém-se os cuidados com o uso de protetor solar e evitar a exposição direta e prolongada ao sol, que sempre devem ser tidos em consideração em regiões quentes e ensolaradas como o Rio Grande do Norte!

O número de aplicações varia, sendo que, no mais das vezes, há que esperar-se um lapso cronológico de mais ou menos um mês para poder-se observar, bem claros, os frutos da terapêutica antes de serem efetuados, se preciso for, novos procedimentos, geralmente num máximo de três.

Levando-se em consideração que os Peelings Superficiais melhoram pouco as manchas, enquanto os médios coexistem com o risco de ocasionar pioras significativas das mesmas e os Profundos são bem mais agressivos, tal tipo de “máscara” inofensiva, suave e eficaz oferece um solução a ser levada em conta. 

Que as “vítimas rebelem-se contra suas manchas! Que estas tenham seus dias contados! Ou, no mínimo, que sejam muito aliviadas com mais este recurso, o qual tem-se revelado simultaneamente suave e eficaz!


Deixe seu comentário!

Comentários

  • nivandacr

    Sou esteticista e gostaria de comprar o peeling de ouro,como faço para conseguir comprar?