Policial militar é morto em festa

Publicação: 2012-06-03 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma possível rixa do passado pode ter sido o fator causador de uma discussão entre policiais militares de folga que participavam de uma festa na madrugada de ontem na zona Norte. O soldado Adriano Lúcio Feliciano da Silva, 35 anos, morreu vítima de disparo de arma de fogo, após discutir verbalmente e iniciar um confronto corporal com um outro soldado identificado apenas como Jamilton.

 Outro PM que tentou intervir na confusão, Márcio Albuquerque Firmo de Souza, também foi atingido, mas não morreu. As causas da briga e o homicídio serão investigados pela Polícia Civil. Os soldados envolvidos no caso responderão a processo administrativo no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar. A abertura de uma sindicância não está descartada, afirmou o comandante geral, coronel Francisco Araújo.
.Policial militar é morto em festaPolicial militar é morto em festa

Adriano chegou a ser levado ao Hospital Santa Catarina mas não resistiu ao ferimento causado pelo disparo. As informações acerca do calibre da arma e, de fato, quantos tiros foram efetuados, não foi confirmada nem pela Polícia Militar nem Civil. O acusado de ter efetuados os tiros é o PM Sd. Jamilton, que segundo informações de outros militares ingressou na corporação em 2001. “Tudo será apurado. São muitas informações que precisam ser checadas”, disse a advogada Kátia Nunes, da Associação dos Cabos e Soldados da PM.

 De acordo com policiais que faziam a ronda externa da casa de shows onde ocorreu o crime, um disparo foi ouvido durante a madrugada. “Quando nós entramos na festa vimos um homem no chão e outro, não sabíamos que se tratava de militares”, disse um dos PMs. A família do policial morto suspeita que uma confusão mal resolvida no passado tenha sido a causa da briga.

“O Jamilton tinha agredido o meu filho no passado, há quase cinco anos. Eu fui na Corregedoria e abri um processo contra ele. Mas nem progrediu. Meu irmão ficou sabendo e acho que foi tirar satisfação na festa”, relatou Telma Feliciano da Silva, irmã de Adriano Lúcio. Uma outra versão é de que ocorreu uma briga generalizada e não se sabe de onde o disparo foi efetuado.  Todas as circunstâncias estão sendo investigadas pela Polícia Civil.


Deixe seu comentário!

Comentários