Som alto em posto é alvo de denúncia de moradores

Publicação: 03 de Junho de 2009 às 00:00 | Comentários: 11
A+ A-
Marcelo BarrosoVeículos estacionam no posto e ligam som, causando transtornos ao proprietário e aos moradoresVeículos estacionam no posto e ligam som, causando transtornos ao proprietário e aos moradores
Moradores das proximidades do posto de combustível 1002 que funciona na esquina das avenidas Prudente de Morais com Bernardo Vieira não aguentam mais o som alto dos carros que estacionam no local às sextas, sábados e domingos.  Com as tampas traseiras abertas,  os proprietários destes veículos promovem  disputas para quem  tem o som em  volume mais alto.

No último domingo, 48 moradores assinaram um abaixo-assinado que será entregue nessa semana à Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente- Deprema. Segundo Antônio Júnior Firmino, morador da Praça Parque do Chafariz, que fica nas proximidades do posto, o barulho intensificou-se há dois meses. “Os carros estacionam no posto e abrem a mala, cada um com o som mais alto. Estamos fazendo este abaixo assinado a pedido da Delegacia de Meio Ambiente que já está com um processo aberto contra o posto para enquadrá-lo na Lei do Silêncio. É tanto barulho que  a própria Polícia Militar já apelidou o lugar de posto dos infernos.” A dona de casa Josilma Dantas, moradora da rua José Faruche,  também nas proximidades do posto,  reclama da situação e diz que não aguenta mais o som alto, além da baderna que as pessoas que frequentam o posto fazem nos dias de som em volume mais alto. “ Já cansei de ligar para a Polícia Militar  tomar providências no posto e pedir que os donos dos carros abaixem o som alto que vai até o final da manhã, dependendo do dia”.

Outra reclamação dos moradores é que o próprio posto não toma providências para que o som seja diminuído. O morador José Eduardo Dantas Batista, cuja mãe mora na Praça Parque do Chafariz, fala que o barulho dos carros com o som em funcionamento é muito alto. “Nasci e me criei aqui, mas acabei mudando porque o barulho é muito alto e ninguém consegue dormir”.

Funcionários do posto ouvidos pela Tribuna do Norte disseram que ligam para a Polícia Militar para tentar solucionar o problema mas que nem sempre são enviadas viaturas ao local. “Quando as viaturas aparecem, os militares  pedem para que os donos dos carros abaixem o som mas é só eles irem embora que os frequentadores aumentam de novo”, disse um funcionário da loja de conveniência do posto que não quis se identificar, temendo represálias. Este funcionário também relatou que é comum, quando os militares aparecem no local, os donos dos carros e seus acompanhantes jogarem latas no chão e vaiarem os policiais. Outros funcionários do posto não quiseram falar alegando que somente o gerente  poderia se pronunciar.

O gerente Emerson Murilo disse a Tribuna do Norte, por telefone, que recebeu reclamações de moradores que  moram próximo ao posto sobre o som alto. “Já orientamos os funcionários que é proibido o consumo de bebidas no local bem como o som alto, mas os donos destes carros ignoram essa proibição que inclusive é ressaltada através de adesivos colados na parte externa da loja de conveniência”.

Emerson Murilo disse ainda que advogados do posto  aconselharam a administração a entrar com um processo para resguardar o posto das reclamações dos moradores. “Fizemos um registro de ocorrência com o promotor Márcio Luiz Diógenes, da 28 ª Promotoria e este ficou de enviar a mesma para a Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente”.

Delegado recebe denúncia do MP

De acordo com o  delegado Robson Celso Aranha,  titular da Delegacia Especial de Meio Ambiente, que recebeu a denúncia do Ministério Público, numa diligência feita pelos agentes da Delegacia foi constatada através de medição feita com decibelímetro (aparelho que mede o nível de som)  volume acima do permitido.

“Aos 15horas do dia 24 de maio os policiais da Deprema que estiveram no posto constataram que o volume de som de alguns veículos chegou a 83 decibéis, bem acima dos 55 decibéis permitidos para este tipo de área que reúne estabelecimentos comerciais e residências”.

O delegado Robson Aranha disse também que os responsáveis pelo posto  disseram ao promotor que se consideram “vítimas da situação” já que também estão prejudicados com o som alto. O titular da Deprema disse que não tinha recebido nenhum abaixo-assinado dos moradores das proximidades do posto, mas que a investigação continua. “Já identificamos os veículos que estavam com o som alto e no momento aguardamos o abaixo assinado dos moradores”, finalizou.

Delegado explica como denunciar  problema com som

Quem tem problemas com som alto  provocado por automóveis com aparelhos de som deve ficar atento às maneiras de como a denúncia será feita às autoridades. De acordo com o delegado Robson Aranha, muita gente se irrita com os donos de carros que colocam o som alto em cigarreiras, por exemplo, e que depois de algum tempo se retiram. “Nesse caso não adianta reclamar. É preciso ficar atento a quem está com o som alto e ligar para o 190 da Polícia Militar que vai encaminhar essa denúncia à Deprema”.

Nos casos em que o som alto é constante, os denunciantes devem se dirigir à Deprema e fazer a queixa. “A Delegacia funciona da mesma forma que outras recebendo denúncias e investigando-as. Como funciona anexa à Central do Cidadão no Praia Shopping, o horário do atendimento é diferenciado. Às segundas-feiras das 8h às 18h a partir de terça-feira a sábado das 8h às 21 horas. Também prestamos informações pelo telefone através do 3232 7404”, disse o delegado Robson Aranha.

Outra maneira de denunciar o som alto é ligar para o número 156, através da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano-STTU. O serviço só funciona até às 23h, Neste caso os amarelinhos trabalham com um decibelímetro- aparelho usado para medir o volume de som em caso de som alto.
Arrayposto


Deixe seu comentário!

Comentários

  • lctg

    Esse Glauberh é um analfabeto, isso sim!!!!!

  • cintinhainha2004

    Acho q esse Glauberth é comediante, só pode ser uma piada isso q ele digitou, kkkkkkkkkk

  • cintinhainha2004

    Só pode ser uma piada esse comentário de glauberh

  • mgeovani

    Um dos maiores problemas que esse posto enfrente como também a PM é que a maioria dos dosnos desses carros são \"Playboys\" e temém por represárias, mas pergunto, onde tá a Lei seca, pois a maioria desses carinhas saêm bêbados nos carros ou seja a cia de trânsito deveria ser acionada e multar esses vagabundos que vivem a custas dos pais... Infelizente é assim.

  • alexandre.favaro

    RIDICULO Quando vejo esses deliquentes nos postos, sim, são deliquentes pois além de beber, FUMAM em local altamente perigoso, e na sua maioria, saem dos postos já \"quentes\", e drogas? Não descarto nenhuma possibilidade.. Vai um pé rapado vaiar policial, vai em cana, agora um bando de desordeiros que nem estes, além de vaiar, jogam as latas no chão, mostrando total desrespeito para com as autoridades. E vai ficando nisso mesmo...

  • gilson.medeiros

    O problema com estes donos de veículos é o mesmo que acomete a muitos motoristas aqui em Natal: O EGOÍSMO. Enquanto este sentimento nefasto for tão presente em nossas vidas, problemas como estes estarão sempre se repetindo.

  • carlosaugusto77

    Bom, aqui em Natal quanto maior o som do carro, menor é o Qi. veja em http://natalcomoteamo.blogspot.com

  • glauberh

    vamos se divertir pessoal, vcs querem tranquilidade vão morar em sítio. daqui a pouco vcs irão denunciar até os barulhos dos carros que passam em suas portas. e esses hipoctras que diz que é poluição sonora, é sim, admito, mais vamos dar prioridade a coisas mais importantes, tipo, poluição CO2 dos onibus, microondas, vamos dar prioridade os dematamentos que acontece na area do rio pitimbu. porque vcs não dão essas prioridades? porque são ricos quem vão morar naqueles condominios vizinho o rio pitimbu.

  • avcamara

    Pagamos impostos caríssimos, mas o poder público não cumpre seu papel, não fiscaliza nem pune quem destrói o sossego alheio !

  • bitinho.nobre

    Esse ou essa glauberh@... |deve ser um dos que importunam com som alto nos postos de gazolina. Ele é que deveria ir com o som dele para o brejo tocar para os sapos lá no rio Pitimbú. Tomara que fique surdo ai ele vai aprender a linguagem dos surdo-mudos. Não sou contra quem gosta de som alto, mas prejudicar a quem não gosta é querer comprar briga. Esta turma que gosta de exageros devem se reunir lá na Via-costeira à noite e fazer um concurso para ver quem tem som melhor, fazer racha tudo num lugar somente deles sem prejudicar o cidadão de bem, pois quem faz este tipo de coisa não pode ser considerado um cidadão. É um moleque mesmo.

  • ivanmaxlacerda

    Não é só neste posto que a lei do silêncio é desrespeitada. Em vários postos de Natal isto acontece. Uma coisa interessante, quando os postos tinham vigilante armado com uma doze ninguém desobedecia um pedido de baixar o som.