Usina Estivas inicia moagem de cana

Publicação: 2006-08-05 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
PRODUÇÃO - Serão processados 1,5 milhão de toneladas de cana-de-açúcar

A Usina Estivas, empresa do Grupo Tavares de Melo (GTM), começa a moagem da cana-de-açúcar na próxima terça-feira. A safra deste ano é 11% superior àquela registrada no ano passado. A previsão é processar pouco mais de 1,5 milhão de toneladas de cana, produzindo 3,2 milhões de sacos de açúcar e 24 milhões de litros de álcool.

De acordo com o diretor geral de produção da Usina Estivas, Gentil Ferreira, a meta é exportar 1,4 milhão de sacos de açúcar. O produto segue principalmente para o Caribe, os países árabes e a África. A maior parte da produção será destinada ao mercado interno — cerca de 1,8 milhão de sacos de açúcar — sendo 1,5 milhão para comercialização das marcas Estrela, Estivas e Dumel e outros 300 mil para o mercado industrial.

A produção de álcool será toda escoada para o próprio Rio Grande do Norte e estados próximos, como Pernambuco, Paraíba, Ceará e, eventualmente, Maranhão. A geração de renda e a melhoria da atividade comercial e de serviços na área de influência da Usina Estivas são alguns dos benefícios trazidos pelo início da safra na unidade, segundo Gentil Ferreira.

A exportação de álcool bateu recorde em maio deste ano, cresceu 715,4% em relação a igual período de 2005. O álcool manteve-se como produto surpresa — primeiro porque sequer figurava entre os produtos exportados no ano passado, devido ao pequeno valor das negociações — porque apresentou um super crescimento. Entre janeiro e maio de 2005, as usinas norte-rio-grandenses venderam negociaram apenas R$ 4,1 milhões e este ano passou para R$ 33,4 milhões.

A Usina Estivas, instalada no município de Arês, emprega quase três mil colaboradores no período produtivo e movimenta a cadeia econômica de mais de dez municípios circunvizinhos. “A moagem é sinal de alegria, um momento bom para a região”, lembra o diretor geral de produção da Usina Estivas. A modernização de equipamentos na indústria e no campo e a irrigação das áreas plantadas da usina garantem o aumento médio de 11% no volume de cana moída em relação ao último período produtivo. Segundo Gentil Ferreira, a empresa segue produzindo até janeiro de 2007, quando se inicia a entressafra. Para o período produtivo, o quadro de pessoal será acrescido de mil profissionais, em média. O número de colaboradores terá um aumento de até cem colaboradores nesta safra em relação à última.



Deixe seu comentário!

Comentários