Economia

Natal, 01 de Agosto de 2014 | Atualizado às 00:42

Com planos de expansão, Le Biscuit estreia no RN

Publicação: 27 de Setembro de 2012 às 00:00
Andrielle Mendes - Repórter

A Le Biscuit, rede baiana de lojas de departamentos, inaugura hoje uma unidade no Midway Mall. O investimento de R$ 4 milhões - incluindo estoque - marca a chegada da rede ao Rio Grande do Norte e ocorre em um momento de intensa expansão do varejo e do setor de shoppings.
Embalada pelo apetite da classe C, a Le Biscuit mais que dobrou o número de lojas próprias
A loja de Natal empregará, diretamente, 40 pessoas - todas já contratadas - e ocupará um espaço de 1.000 metros quadrados. Como outras fora do estado, a unidade ofertará mais de 60 mil itens, em  áreas como decoração, utilidades para o lar, papelaria, brinquedos, festa, armarinho, bazar e bomboniére. Mais três inaugurações estão previstas este ano só no Midway: uma central de atendimento da Oi, uma Casas Bahia e um McDonald’s, as duas últimas com previsão de conclusão para a primeira quinzena de outubro. Já a Oi ainda não iniciou a obra, segundo informou o shopping.

A inauguração das quatro lojas está orçada em R$ 10,7 milhões, incluindo o investimento do grupo Guararapes, controlador do shopping. Serão gerados, em média, 250 empregos diretos, segundo estimativa inicial. O Midway não é o único, porém, a receber novas operações.

O Natal Shopping, que passa pela primeira grande reforma em 20 anos, deve inaugurar 69 lojas até setembro de 2013 - 66 lojas satélites, uma loja âncora e duas megastores. O Praia Shopping, anunciou a chegada de JC Artes, Vastimo e Empadinhas Barnabé, que funcionará na Praça de Alimentação. O Natal Norte Shopping anunciou a inauguração da Miranda Computação - que também abriu no Praia Shopping - e da loja Mania de Couro, de sapatos e acessórios. Já o Cidade Jardim anunciou a chegada do Americanas Express, modelo mais compacto de loja da rede varejista Lojas Americanas.

A Le Biscuit sinalizou a abertura de novas lojas no RN, mas não confirmou se inaugurará mais unidades em shoppings. Ao todo, são 28 lojas da rede baiana em sete estados, a maioria no Nordeste. A rede quer inaugurar 18 lojas este ano e outras 25 em 2013. A meta é fechar 2013 com 70 lojas e chegar a 2016 com 200, espalhadas por todo o país.

Para acelerar a expansão, iniciada em 2011, a Le Biscuit se associou, no início do ano, à Vinci Partners, uma das maiores empresas independentes de investimento do Brasil. O crescimento orgânico é reflexo também do aumento das receitas. O faturamento em 2011 (R$ 200 milhões) foi 40% superior ao registrado em 2010. Este ano, a rede espera faturar R$ 330 milhões, um incremento de 65%.

Tudo indica, segundo Antônio Saback, diretor nacional de operações da Le Biscuit, que o investimento não ficará restrito à capital potiguar. “A rede nunca fica com uma loja só no estado. Abrimos, no mínimo, três, para ganharmos em escala e mídia, afirmou, em entrevista à Tribuna do Norte.

Para empresas, momento favorece expansão do varejo

Apesar da desaceleração na economia brasileira - refletida na retração da produção industrial e da geração de emprego formal - o momento é favorável ao varejo, dizem os executivos. “Estamos crescendo. Não podemos nos contagiar com a palavra ‘crise’”, diz Antônio Saback, diretor nacional de operações da Le Biscuit, que viu o número de lojas próprias aumentar 154,5% entre 2011 e 2012.

Segundo Saback, a rede tem contando com um grande aliado neste último ano: a classe C, que já responde por metade das vendas da rede em todo o país. A abertura de novas lojas no RN, no entanto, vai depender da aceitação do mercado. “Estamos estudando o mercado. Farejando oportunidades. Mas ainda não há nada definido”, afirmou o executivo, que visita o município de Mossoró esta semana.

Para Pedro Siqueira, diretor de Patrimônio da rede de lojas Riachuelo, integrante do grupo Guararapes, é natural que os empreendedores apostem em novas operações. “O avanço da renda, a expansão do crédito, e a ascensão da classe C estão movendo as expansões. Nunca tivemos tantas inaugurações no varejo”. O grupo, controlador da rede de lojas Riachuelo, do Midway Mall, e da transportadora Casa Verde, por exemplo, acaba de inaugurar o contact center, de R$ 40 milhões, e já prevê novos investimentos para Natal. O diretor de operações da Le Biscuit, Antônio Saback, pensa parecido. “O Nordeste tem crescido muito. Não falo em demanda reprimida, mas em euforia mesmo”.

Outra marca que vai aumentar sua presença no Rio Grande do Norte é a McDonalds com duas inaugurações previstas para outubro: uma em Natal, no Midway, e outra no Mossoró West Shopping, em Mossoró. Atualmente, são três restaurantes no estado. Dorival Oliveira, vice-presidente de Desenvolvimento da McDonald’s, não revela o valor do investimento nem os planos do grupo, mas afirma que “o RN é, sem dúvida, um mercado bastante interessante, e que a marca está sempre estudando novos espaços para expandir sua presença”. Este ano, a rede inaugurou 26 restaurantes em todo o país. Até o final de 2012, inaugurará mais cinco, além dos dois no Rio Grande do Norte. “Ainda tem mais restaurante vindo por aí, mas ainda não posso falar. Esta informação é confidencial”, disse ele. Já são quase 700 restaurantes, 1,7 milhão de clientes por dia e 50 mil funcionários no Brasil. No mundo, são cerca de 33 mil restaurantes em 119 países, 1,7 milhão de funcionários e 64 milhões de clientes por dia.

Midway Mall

Inaugurado com 124 lojas em 27 de abril de 2005, o Midway Mall – que recebe o McDonald´s, a Le Biscuit, a Casas Bahia e uma central de atendimento da Oi - já passou por três expansões, que representaram mais de R$ 120 milhões em investimentos. A primeira, em abril de 2009, com a inauguração do terceiro piso e o incremento de mais 70 lojas. A segunda no segundo semestre de 2010, com a abertura do Teatro Riachuelo e do Espaço Gourmet. Agora para pela terceira, fruto da ‘reciclagem’ de mais de 2,5 mil metros quadrados alugados inicialmente ao Extra, do grupo Pão de Açúcar. Segundo afirmou o empresário Flávio Rocha, presidente da Riachuelo e vice-presidente do grupo Guararapes, em entrevista à TRIBUNA DO NORTE ainda em abril, há projetos que abrem a possibilidade de aumentar em até 30% sua Área Bruta locável, a curto prazo. “A estrutura do shopping já prevê isso. A proposta é eliminar lajes intermediárias do estacionamento. Há possibilidade de crescimento vertical”, frisou. O Midway, segundo ele, tem 60 mil metros quadrados de Área Bruta Locável, mas pode chegar a 100 mil metros a curto prazo, no mesmo espaço que ocupa hoje.