sábado, 25 de maio, 2024
29.4 C
Natal
sábado, 25 de maio, 2024

Bolsa Família gera filas e confusão

Um boato sobre a suspensão do programa Bolsa Família levou uma multidão de beneficiários a agências da Caixa Econômica Federal (CEF) e a casas lotéricas no Rio Grande do Norte e em outros estados do Brasil. A confusão, que começou no sábado,  continuou ontem em agências  localizadas no Rio de Janeiro e em Salvador. No Rio Grande do Norte, onde a segunda-feira foi mais tranquila, ainda havia beneficiários em busca de informações e do dinheiro. Nacionalmente, foram sacados R$ 152 milhões durante o fim de semana.
Em Parnamirim, a fila para entrar na agência também reunia beneficiários
#SAIBAMAIS#Em meio à confusão, o governo assegurou que o programa será mantido e que os pagamentos serão realizados normalmente, de acordo com o calendário. O calendário pode ser consultado pela internet, através do site www.caixa.gov.br, e pelo telefone 0800 726 0101.

Assustados com a possibilidade do fim do programa, muito beneficiários buscaram as agências da CEF, na manhã de ontem. A dona de casa Severina Martins de Freitas, de 37 anos, esteve em pelo menos dois endereços do banco em Natal, no domingo. Foi ao Alecrim e ao Centro. Ontem, foi a agência da rua João Pessoa, no centro da cidade, pra tentar sacar o benefício de R$ 108,00, que recebe mensalmente há 3 anos. “No domingo era uma confusão, ninguém conseguia”, conta a moradora do Bom Pastor.

Rosiane Félix do Nascimento, de 25 anos, também chegou cedo à agência para conferir  se o valor estava depositado. “Foi um alvoroço ontem (domingo), as vizinhas todas vieram tentar sacar e nada. Eu não vim porque não tinha com quem deixar as crianças”, afirma.  Mãe de gêmeas de 1 ano e 7 meses e de um menino de quatro anos, ela recebe R$ 202,00 mensais que ajudam a complementar a renda do marido, que é vendedor, e a pagar colégio e aluguel.

Em Parnamirim, uma longa fila se formou à entrada da agência na avenida Everaldo Breves, no Centro. Mas nem todos esperavam para receber o benefício. Maria Erivaneide da Silva veio de Cobé, em Vera Cruz. O valor estava liberado desde a sexta-feira, mas uma falha no cartão impossibilitou o saque. Segundo ela, muitas pessoas fretaram carro para vir a Natal tentar retirar o dinheiro. “Tenho cinco filhos e esse dinheiro é essencial para gente viver”, disse.

Valdeniria Ferreira dos Santos, que esperava na fila, conta que no domingo a irmã saiu de Parnamirim e percorreu, em vão, as agências de Emaús, Nova Parnamirim, Via Direta e Midway. “Não tinha dinheiro (no caixa), então ela ia pra outra tentar sacar”, disse.

O movimento nas agências do RN ontem foi menor se comparado ao do final de semana, quando milhares de pessoas procuraram as agências e foi registrado tumulto em todo o Estado.
Prejuízo

 Os casos mais graves de tumulto, de acordo com a Superintendência Regional da CEF, foram registrados em Parnamirim e Goianinha, onde a confusão resultou em portas de vidro quebradas.

“Mas o maior prejuízo foi  dessas famílias que tiveram a rotina alterada pela perspectiva de última oportunidade de sacar o benefício”, disse o superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Roberto Linhares.

Ele admitiu que durante o domingo foi necessário pedir reforço de seguranças, Polícia Militar e mesmo da Polícia Federal, que atua nas investigações para apurar de onde surgiu o boato.

Linhares negou que tenha faltado dinheiro no auto-atendimento durante o final de semana. “O que faltou foram cédulas de menor porte, R$ 2 e R$ 5 que dificultaram o pagamento, mas não foram esvaziados apesar do fluxo atípico”, disse.

Na manhã de ontem, o abastecimento dos caixas e o efetivo de seguranças foram reforçados. Nas agências da Caixa da rua João Pessoa e da Ribeira o auto-atendimento, onde ficam os caixas eletrônicos, estava com o movimento considerado normal para o dia.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas