quinta-feira, 18 de abril, 2024
26.1 C
Natal
quinta-feira, 18 de abril, 2024

Mossoró: direção de presídio já tinha sido avisada sobre baixa qualidade das câmeras

- Publicidade -

A fuga de dois presos do presídio federal de Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte, segue mobilizando forças policiais para capturar os foragidos desde a quarta-feira (14). Além das informações já confirmadas sobre as falhas estruturais que facilitaram a ocorrência, fontes ligadas à investigação apontam que parte das câmeras do local não estavam funcionando adequadamente no momento da fuga e a direção penitenciária do presídio já tinha sido avisada sobre a baixa qualidade dos equipamentos do local.

De acordo com as informações, as falhas de circuito das câmeras foram detectadas no ano passado e os equipamentos foram devolvidos. A partir disso, o presídio precisou trocar os objetos pelo modelo que venceu a licitação, tendo em vista que a remessa anterior correspondia a um modelo inferior ao pago pelo poder público.

Técnicos que acompanharam a inspeção, no entanto, apontam que as câmeras instaladas na troca não eram eficientes para o exigido em uma penitenciária de segurança máxima. Isso significa que a qualidade estava passível a falhas no funcionamento, o que deve ter facilitado a fuga dos dois presos.

Rogério da Silva Mendonça, de 35 anos, e Deibson Cabral Nascimento, de 33 anos, fugiram do presídio federal na madrugada de quarta-feira e até o momento não foram encontrados. Um furto a uma casa na zona rural de Mossoró na manhã da última quinta-feira (15), contudo, levantou a suspeita de que eles podem estar numa área de 15km do presídio. Isso porque apenas roupas e alimentos foram furtados da residência.

O não funcionamento de parte das câmeras na fuga está sob investigação. O objetivo é entender se havia registro da falha, a quem foi reportado e porque não foram tomadas providências, uma vez que o circuito interno de um presídio auxilia no controle dos presidiários e em eventuais investigações. O ministro da Justiça, Ricardo Lewandoski, determinou o afastamento da direção do presídio e nomeou o policial penal federal Carlos Luis Vieira Pires para atuar como interventor do local.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas