domingo, 23 de junho, 2024
23.1 C
Natal
domingo, 23 de junho, 2024

A erotização dos pequenos

[Instagram @alexmedeiros1959]

A senadora Damares Alves (Republicanos-DF) fez pela enésima vez mais uma denúncia sobre um crime bárbaro contra uma criança, e de uma maldade e covardia para dilacerar o coração, como dito nas palavras dela mesma em suas redes sociais. Um filho da puta estuprou um bebê recém-nascido, na localidade de Tapuá, Amazonas. É de uma sandice que parece ritual macabro.

Toda semana o noticiário “nesse país” (como repete Lula) publica sobre alguma operação policial que localiza dezenas de criminosos que usam crianças como objetos dos seus desejos maléficos e compartilham e imagens delas em situações de exposição sexual como lucrativos produtos de contrabando virtual, na maioria das vezes no mercado da internet profunda.
A tara por criança é tão antiga quanto a prostituição e a corrupção política. Tem em qualquer cultura e religião há séculos; da Grécia à China, de Roma ao mundo muçulmano, não importando quão conservadora ou liberal a sociedade.
Por milênios, os detentores do poder e das leis trataram com tolerância o uso de meninos e meninas para suprir desejos de adultos. Em algumas religiões a contemporização dialoga desavergonhadamente com a história de seus ídolos.
Nos dias atuais, há uma tolerância tácita da sociedade com a pedofilia como acontece em relação às drogas. Assim como o tráfico se alimenta do consumo de todas as classes, os pedófilos são municiados pela erotização das crianças.
E esta erotização é mais das vezes promovida pela própria sociedade adulta. E não estou me referindo a adolescentes, que são donos dos narizes, mas aos pequeninos abaixo dos 12 anos que são produzidos pela moda e pelos pais.
Não serei hipócrita de misturar crianças com adolescentes, como fazem alguns moralistas radicais. Sou de uma geração em que as mães casavam aos 15 anos e as avós geravam filhos a partir dos 14. Abaixo disso é criança, é a Lei.
Não há a menor chance de conter a sanha de predadores sexuais enquanto a sexualidade for coisificada por pretensos intelectuais que misturam a exposição fácil das crianças com seus conceitos tortos de liberdade de expressão.
No Brasil, os próprios familiares estimulam suas meninas a se vestirem de Anitta, como já aconteceu antes nos anos 1990 com a Tiazinha, a Feiticeira e as dançarinas do É o Tchan. Hoje, as redes sociais são vitrines de “novinhas”.
Quanto mais a polícia identifica e prende caçadores de menores ou onanistas prostrados diante de imagens infantis, mais as mamães modernas aplicam batom vermelho nas bocas das crias e os papais filmam no celular as dancinhas eróticas, algumas supondo até pole dance e remelexo funk.
Desde a década de 1980, a indústria cultural inseriu crianças nos estereótipos propagandeados na TV. Bonecas ganharam namorados e acessórios sensuais, botaram meninas entre 2 e 10 anos para dançar na boquinha da garrafa.
E tudo aquilo estimulado por adultos sorridentes, os mesmos que vociferam contra pedófilos presos na hora do telejornal. Mas rosnam como se o crime fosse um fato psicologicamente isolado, restrito ao criminoso distante deles.
Quando o jornal acaba, saem para comprar o novo shortinho da Anitta ou a bota de Pabllo Vittar para a filhota de 6 anos. E ainda há o fato da mídia proteger a identidade dos criminosos, às vezes contemporização ideológica.
Há alguns anos, o ativista católico Olavo de Carvalho percebeu uma escrota estratégia daqueles que preferem a tolerância e driblam os incautos com discurso de liberdade e produção artística: “Primeiro dizem que é doença para não dizer que é crime. Depois tornam crime dizer que é doença”.

Boicote Agropecuaristas alertam para um sórdido boicote contra o agronegócio a partir de uma parceria do governo Lula com a JBS. Enquanto o governo importa toneladas de grãos, o frigorífico baixa preço e derruba a venda do boi gordo.

Ataques Ontem as forças de defesa de Israel interceptaram quarenta bombardeios dirigidos às Colinas de Golã e originados da fronteira do Líbano onde atua o grupo terrorista Hezbollah, que assim como o Hamas é financiado pelo Irã.

Atentado O quadro de saúde do primeiro-ministro da Eslováquia segue muito grave após ser baleado. Jornais do Leste Europeu comparam o caso ao assassinato do arquiduque da Áustria, em 1914, que foi estopim da Primeira Guerra Mundial.

O Beco O poeta Chico Tripa se manifestou sobre a descabida ideia de nomear uma área do Centro como um largo. E tascou lá de Caicó: “Eu afirmo no a palo seco / contra a ideia indevida / não se pode alargar beco / nem estreitar avenida”.


Ofício Quatro jovens me sabatinaram num café para um trabalho escolar (que mestre maluco me dá referência?). E pediram um conselho. Eu disse apenas: pelo amor do deus e dos pais de vocês, apenas escrevam sem erros imperdoáveis.

Michael Ignatieff “Um dos maiores sentimentos da vida é a convicção de que você viveu a vida que queria viver – com o áspero e o suave, o bom e o mau – mas a sua moldada pelas suas próprias escolhas, e não pelas de outra pessoa”.

Emocionante Apesar da saúde, a cantora Celine Dion surpreendeu a plateia dos Rolling Stones e a imprensa mundial aparecendo no show da banda em Las Vegas. Por determinação de Mick Jagger, foi organizado um espaço pra ela e os filhos.

Diamante Há 24 anos o Barcelona revelava nas canteiras um menino de 13 anos chamado Messi. Agora, prepara outro garoto argentino, Pedrito Juárez, de 10 anos, que só este ano já marcou 46 gols no torneio local da categoria sub-12.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas