sexta-feira, 1 de março, 2024
26.1 C
Natal
sexta-feira, 1 de março, 2024

A maldição de Matrix

- Publicidade -

Alex Medeiros

@alexmedeiros1959

Ano que vem, em 31de março, o mundo do cinema vai comemorar os 25 anos de lançamento nos EUA de uma das melhores e cultuadas sagas de ficção científica da sétima arte. Aqui no Brasil, o vigésimo quinto aniversário será em 8 de maio. O primeiro filme Matrix, criação dos irmãos Larry e Andy Wachowski, foi lançado em 1999, com sequências em 2003 e 2021.

Além de extremamente bem-sucedida financeiramente, a saga também conquistou público e crítica, tendo a primeira aventura recebido nada menos do que quatro estatuetas do Oscar, nas categorias de melhores efeitos visuais, sonorização, edição e edição de som. Um big sucesso.


Mas se pelo lado puramente cinematográfico a trilogia arrebentou nas bilheterias e acumulou milhões de fãs pelo mundo afora, pelo aspecto da sorte e do bem-estar de alguns dos seus protagonistas ocorreu uma espécie de mundo paralelo em que o inferno astral desceu sobre eles.


A começar pelo principal nome do elenco, o herói central interpretado pelo ator Keanu Reeves, que após Matrix só aumentou seu estrelato no céu de Hollywood. Mas no plano pessoal, as coisas não foram nada bem para o cara que encarnou Neo. Uma tragédia se abateu meses após a estreia.


Reeves e sua então namorada, a atriz Jennifer Syme, estavam aguardando a chegada de um bebê, uma menina, a quem colocariam o nome de Ava. Um parto prematuro e complicado fez o bebê sair morto do útero, deixando mãe e pai num terrível quadro de depressão que provocou a separação.


Dois anos depois, Keanu e Jennifer iniciaram uma tentativa de restabelecer laços e trabalharem a perda juntos. Mas ela perdeu o controle do carro ao voltar de uma festa na casa da cantora Marilyn Manson, amiga do casal. Syme morreu no local e dias depois uma irmã de Reeves teve leucemia.


Após tudo isso, as finanças do ator despencaram, surgiram fraudes fiscais e até boatos de sua morte ganharam força. Quando ele e elenco começaram a filmar o segundo filme, Matrix Reloaded, os produtores contrataram a jovem cantora Aaliyah, que disputou o Oscar pelo tema do filme Anastasia.


A garota de 22 anos iria interpretar a personagem Zee, uma filha da cidade fictícia de Sion que iria ajudar os protagonistas na guerra contra as máquinas. Mas em agosto de 2001, quando retornava das Bahamas, o avião que trazia Aaliyah caiu e terminou com seu promissor talento.


Curiosamente, ela foi substituída no filme pela jovem atriz Nona Gaye, filha do famoso e saudoso cantor de soul Marvin Gaye, que era um dos maiores ídolos de Aaliyah, que em 1996 havia feito uma primorosa gravação de Got To Give It Up, sucesso dele em 1977 cuja tradução é “tenho que desistir”.


O infortúnio, ou maldição da Matrix, afetou também outros artistas da saga. Gloria Foster, que interpretou Oráculo, morreu de diabetes durante as gravações do segundo filme, sendo substituída no terceiro pela atriz Mary Alice. E Jada Pinkett, mulher de Will Smith, que fazia a personagem Niobe, contraiu uma doença nunca diagnosticada que a fez perder os cabelos.


Por fim, o fato mais lembrado pelos fãs da trilogia, foi sem dúvida a sexualidade e biologia dos irmãos Wachowski. Em 2008, Larry decidiu fazer cirurgia de mudança de sexo e foi imitado por Andy em 2016. Hoje, eles são elas, as irmãs Wachowski. O primeiro agora se chama Lana e o segundo Lily.

Geopolítica O tal Tribunal de Haia sempre foi um posta-restante da esquerda mundial, usado para alimentar narrativas condenatórias contra a direita. Não vai ser agora que eu vou dar relevância só porque tirou uma resolução contra Maduro.

Carnaclima Os discursos retóricos e os looks pictóricos na Conferência do Clima da ONU têm todos os apetrechos e motivos para ajudar o Brasil na divulgação do carnaval 2024. O vai e vem de lideranças no microfone lembra a Sapucaí.

Eólicas A Globo dá ampla cobertura aos debates na COP28 sobre a importância e os grandes investimentos na indústria da energia eólica. Uma reportagem de longos minutos no Jornal Hoje de sexta deve ter chateado ativistas do MPRN.

Urnas Um ano depois das eleições presidenciais, o TSE resolveu abrir o código-fonte das urnas. E na quinta-feira, o ministro Alexandre de Moraes afirmou que “a confiança dos brasileiros nas urnas nunca se abalou”. Sua fonte é o Datafolha.

Bolsonaro Ao chegar no Restaurante Camarões na quinta-feira, Jair Bolsonaro provocou frisson entre os muitos clientes que lotaram o térreo. E horas depois o acesso ao primeiro andar, onde ele participava de um jantar vip, foi liberado à tiegatem.

Palestra Na manhã da sexta-feira, muita gente do interior se juntou aos muitos natalenses que foram ouvir Bolsonaro lançar a Plataforma Brasileira de Política Conservadora, no hotel Holiday Inn. Ambiente lotado e publicado nas redes.

Cascudinho Uma equipe do Colégio Facex, formado por alunos e professores, montou o espetáculo “A Gaiola de Luís”, baseado no livro “o Menino e Cascudinho”, escrito pelo garoto Davi Maia. O musical foi encenado no Teatro Riachuelo.

Exposição Abre na segunda-feira a Exposição dos 30 anos das Juntas de Conciliação e Julgamento do RN (atuais varas do trabalho), criadas em novembro/1992 e instaladas em dezembro/93. A abertura é às 10h no Átrio das Varas de Natal.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas