segunda-feira, 19 de fevereiro, 2024
28.1 C
Natal
segunda-feira, 19 de fevereiro, 2024

Brilha o sol na Argentina

- Publicidade -

Alex Medeiros

@alexmedeiros1959


Aquele sol na bandeira do país hermano passa a ter, senão um novo brilho, ao menos uma simbologia de mudança entre o chão e o céu da Argentina. Depois de décadas de domínio do peronismo, a doutrina e força política implantada pelo caudilho Domingos Peron nos anos 1940, a vitória de Javier Milei é a primeira ruptura de fato com o sistema que desde o fim dos regimes militares se manteve no poder numa junção político-econômica afinada com a esquerda.

A continuidade peronista veio na roupa nova do kirchnerismo, o movimento herdeiro criado pelo casal Nestor e Cristina Kirchner e grande aliado do sindicalismo socialista que o Lula e o Partido dos Trabalhadores ramificaram pelo continente sul-americano através do Foro de São Paulo e do apoio de Fidel Castro em sua fase terminal de cadáver insepulto da Cuba comunista.


Ao vencer o ministro da economia Sergio Massa, por uma larga vantagem de 12%, Javier Milei praticamente enterra o tempo de corrupção de Cristina Kirchner e vai tentar consolidar uma proposta de administração pela direita.


Às 18h do domingo, quando a votação encerrou, não demorou para que a apuração apontasse a vitória do candidato liberal e a derrocada do representante da esquerda. Com 35% dos votos apurados, já era tendência.
As urnas abertas em cidades como Córdoba, Mendonza, Santa Fé e Cárcere davam enorme diferença, indicando a tendência do voto, coisa que quem conhece o sistema de apuração de voto impresso entende muito bem.
Ao final, Milei venceu em 20 das 23 províncias, inclusive em Tigres onde nasceu o adversário Sergio Massa. Entre o primeiro e o segundo turno, o candidato da aliança A Liberdade Avança conquistou 6,5 milhões de votos.


No Brasil, o presidente Lula evitou citar o nome do novo presidente argentino. Em mensagem nas redes sociais, disse “desejo boa sorte e êxito ao novo governo. A Argentina é um grande país e merece todo o nosso respeito”.


O ex-presidente Jair Bolsonaro, que por várias vezes postou mensagens de apoio ao vitorioso, publicou “parabéns ao povo argentino pela vitória de Milei. A esperança volta a brilhar na América do Sul”. Ontem, recebeu um telefonema.


Nos EUA, Donald Trump, que lidera as pesquisas contra Joe Biden, disse “estou muito orgulhoso de você. Você mudará seu país e realmente tornará a Argentina grande novamente”. Leia nota abaixo sobre nova pesquisa da NBC.


Trump usou na mensagem a bandeira amarela com a estampa de uma cobra enrolada, o símbolo do movimento anarcocapitalista tão citado por Milei e que tem seguidores na direita norte-americana. No domingo, a bandeira estava tremulando nas mãos dos eleitores de Javier Milei em seu comitê eleitoral.


Como admirador da Argentina, do seu futebol, da sua literatura, do seu cinema e dos 5 prêmios Nobel, torço para o novo presidente conseguir resgatar o país da gigantesca crise imposta por anos de governos corruptos da esquerda.


E que o seu povo possa experimentar na prática o sentimento nos versos do famoso tango do imortal Carlos Gardel, e cantar: “Minha querida Buenos Aires / Quando eu te volte a ver / Não haverá mais penas nem esquecimento”.

Anarcocapitalismo
O termo popularizado por Javier Milei existe desde os anos 1940, criado pelo americano Murray Rothbard, o influenciador da clássica Escola de Viena, cujos conceitos econômicos são as bases da formação política do líder argentino.

Anarcocapitalista
O personagem Ugo Vernomentti foi criado no final dos anos 80 na minha coluna no Diário de Natal. Em início de 1993, a então ministra Yeda Crusius riu durante um papo e disse: “vou falar aos meus alunos do novo posicionamento”.

Pesquisa
O canal de TV NBC divulgou pesquisa na sexta-feira confirmando outras amostragens com Donald Trump na frente de Joe Biden na corrida presidencial. E revelou o pior índice de aprovação do governo, menos de 40%.

Palestinos
Israel mandou duro recado a Abu Mazen, líder da Autoridade Palestina, que se nega a condenar o Hamas pelos assassinatos de 7 de outubro. Assim que eliminar os terroristas Gaza não terá ninguém que apoie o Hamas e o ISIS.

Maionese
Depois do assédio à baleia jubarte, Bolsonaro será acionado pela onda de calor, inflação, derrotas da seleção, queda de rendimento do Botafogo, presença de traficantes no governo, fogo na Amazônia e mortes de mal súbito.

Taylor Swift
Chamada no The New York Times: “A turnê Eras Tour de Taylor Swift quebrou recordes na América do Norte, na Austrália e na Argentina, mas enfrentou tragédias e contratempos durante três dias de shows no Rio de Janeiro”.

Mortes
Arrastões no Estádio Nilton Santos durante a turnê de Taylor Swift provocaram pânico e uma morte por assassinato. E o perfil no X (ex-Twitter) da garota morta supostamente por calor, há postagens sobre consumo de loló, que mata.

Rádio
Num dia como hoje, em 1959, a emissora americana WABC-AM demite o disc jockey Alan Feed, um campeão de audiência e que popularizou o termo “rock and rool”. Motivo: o escândalo do jabaculê, que deu origem ao “jabá” no rádio.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas