domingo, 14 de abril, 2024
29.1 C
Natal
domingo, 14 de abril, 2024

Estudos do Porto-indústria verde do RN estão na segunda fase

- Publicidade -

Nesta sexta-feira, 1, a coordenação da equipe responsável pelo Estudo de logística integrada e de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) fez nova visita técnica ao município de Caiçara do Norte, no Litoral Norte Potiguar. Esta segunda fase de estudos foi iniciada em janeiro deste ano e faz parte das exigências legais para a implantação do Porto Indústria-Multipropósito previsto para ser instalado na região. Desde quando foram iniciadas as conversas acerca do Porto Indústria, no ano de 2019, pesquisadores do grupo de pesquisa Creation, da UFRN, estão à frente das ações.

“ Essas visitas técnicas são importantes para avaliarmos o que há de formação geológica em toda a área . Nós vamos observar detalhes como o relevo do fundo do mar e a composição, para avaliar o custo operacional da construção e a preservação máxima, assegurando o desenvolvimento sustentável pelo qual trabalhamos”, ressaltou a professora Elenice Vital, especialista em geologia marinha e costeira.

A previsão é que o estudo conclusivo de impacto ambiental dure em média 12 meses, desde o levantamento de amostras a aferição dos resultados. A equipe técnica é multidisciplinar e composta, em sua maioria, por professores doutores e pesquisadores de destaque nas áreas socioeconômico, ambiental, de desenvolvimento industrial e logística.

O Governo do RN prioriza o porto como uma aposta para o desenvolvimento econômico do estado, em sintonia com a necessidade mundial de investir em energia verde e diminuir os impactos da crise climática. Relatórios internacionais comprovam que o estado de Rio Grande do Norte possui o menor custo de produção de hidrogênio verde no mundo, sendo também o maior produtor nacional de energia eólica. Comprovadamente, a região com maior custo benefício para investimentos em energias renováveis.

“Estamos trabalhando para assegurar a sustentabilidade de todo o processo. Certamente a instalação do porto será um impulsionador da economia verde inclusive internacional. Temos consciência da nossa responsabilidade de elaborar um EIA-RIMA de excelência.”, afirmou o professor Mario González, coordenador do projeto, que também estava presente à visita.

Em Caiçara do Norte, a equipe foi recebida pelo secretário municipal de planejamento, Diego Pereira de Souza, segundo quem a futura instalação do porto indústria verde está sendo o assunto mais comentado na cidade. “Aqui todos só falam nisso. O que a gente espera é que traga emprego e prosperidade para a região, que já está sendo bem mais valorizada”, enfatizou entusiasmado.

A região destinada ao Porto será em Caiçara do Norte, mas também contempla os municípios de São Bento do Norte e Galinhos, por estarem em zona estratégica. Os primeiros estudos sobre eólica offshore apontam que a costa do RN, com até 15 metros de profundidade em um raio de 50 km, facilita a instalação de aerogeradores, com um potencial de geração de energia eólica offshore de 140 gigawatts, representando a produção de 10 usinas hidrelétricas de Itaipu. Há expectativa também, dentro da área portuária, para a produção de hidrogênio verde, amônia verde, fertilizante verde, aço verde, indústria cloroquímica e previsão de geração inicial de 25 mil empregos.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas