segunda-feira, 19 de fevereiro, 2024
28.1 C
Natal
segunda-feira, 19 de fevereiro, 2024

Saldo de empregos no RN cai 48,1% em outubro deste ano

- Publicidade -

Após a criação de 4.351 vagas de emprego com carteira assinada em setembro (dado revisado nesta terça-feira), o mercado de trabalho formal do Rio Grande do Norte registrou um saldo positivo de 2.257 novas carteiras assinadas em outubro passado. O quantitativo representa uma queda de 48,12% no comparativo com setembro deste ano. Quando comparado com o mês de outubro de 2022, que gerou 1.851 novos empregos, observa-se um crescimento de 21,93%. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta terça-feira (28), pelo Ministério do Trabalho.


O resultado de outubro decorreu de 16.808 admissões e 14.551 demissões. O desempenho dos empregos em outubro foi puxado pelo setor de serviços, que apresentou saldo positivo de 1.110 novas vagas. O comércio gerou, 423; a agropecuária, 280; a indústria, 225; e a construção civil, 219. No acumulado dos dez primeiros meses, o saldo do Caged é positivo em 21.926 vagas. No mesmo período do ano passado, houve criação líquida de 27.047.


No País, após a criação de 205.106 vagas em setembro (dado revisado nesta terça-feira), o mercado de trabalho formal registrou um saldo positivo de 190.366 novas carteiras assinadas em outubro. A queda na geração de empregos foi a 7,18% entre um mês e outro. O resultado de outubro decorreu de 1.941.281 admissões e 1.750.915 demissões.


Apesar de ficar abaixo do número de setembro, a criação de empregos em outubro é 18% acima do registrado em igual período do ano passado, quando foram abertas 160.291 vagas. O resultado veio dentro das estimativas do mercado financeiro, que esperava novo avanço no emprego no mês, entre 100 mil a 190 mil vagas. A mediana das estimativas apontava saldo positivo de 135 mil vagas.


No acumulado dos dez primeiros meses de 2023, o saldo do Caged já é positivo em 1.784.695 vagas. No mesmo período do ano passado, houve criação líquida de 2.340.332 postos formais.


O resultado de outubro foi novamente puxado pelo desempenho do setor de serviços, com a criação de 109.939 postos formais, seguido pelo comércio, que abriu 49.647 vagas. Já a indústria geral gerou 20.954 vagas em outubro, enquanto houve um saldo de 11.480 contratações na construção civil. A agropecuária foi o único setor que registrou fechamento de vagas no mês: foram cortados 1.656 postos de trabalho no mês.


No décimo mês do ano, 26 Unidades da Federação obtiveram resultado positivo no Caged. O melhor desempenho entre os Estados foi registrado em São Paulo, com a abertura de 69.442 postos de trabalho. Já o pior desempenho foi de Roraima, que registrou o fechamento de 115 vagas em outubro.


O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada foi de R$ 2.029,33 em outubro. Comparado ao mês anterior, houve queda real de R$ 5,18 no salário médio de admissão, uma baixa de 0,3%.

Construção
No País, o saldo da construção civil de 11.480 vagas de emprego formal no último mês foi superior em 6.521 vagas no comparativo com outubro do ano passado. No acumulado de 2023, a construção foi o segundo setor que mais gerou empregos formais: 253,8 mil vagas com carteira assinada foram abertas, o equivalente a 14,2% do saldo de empregos do Brasil neste ano. O número total de trabalhadores com carteira assinada no setor da construção, em outubro/23, foi de 2,67 milhões.

NOVO CAGED

Rio Grande do Norte
Outubro 2023
Admissões: 16.808
Desligamentos: 14.551
Saldo: 2.257 (-48,12%)
Estoque de empregos até final de outubro: 480.260

Saldo em setembro/2023: 4.351
Saldo em outubro/2022: 1.851
Saldo por atividade econômica

Serviços: 1.110
Comércio: 423
Agropecuária: 280
Indústria: 225
Construção: 219

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas