sábado, 2 de março, 2024
33.1 C
Natal
sábado, 2 de março, 2024

Sistemas de energia solar crescem 39,9% no RN em um ano

- Publicidade -

O Rio Grande do Norte alcançou, ao final de outubro deste ano, marcas históricas na geração de energia solar distribuída, aquela que geralmente é colocada no teto das residências e empresas. De acordo com o Observatório da Energia Solar, base de informações montada pela empresa JVilar Consultoria, que integra a Associação Potiguar de Energias Renováveis – APER, já são 52.873 sistemas instalados, espalhados por todos os 167 municípios do Estado, com uma capacidade instalada de 530,67 kWp. No mesmo período de 2022, eram 37.788 sistemas instalados, com potência de 378,9 kWp. A evolução no período foi de 39,9%.

Energia solar distribuída no RN – Top 10 dos municípios em potência instalada (Kwp) até outubro de 2023 – Gráfico: Aper/observatório da energia solar/jvilar consultoria


Para que se tenha uma ideia da ordem de grandeza que isso representa, caso essa potência fosse direcionada para atender apenas estabelecimentos residenciais, com uma conta média mensal de R$ 200,00, seriam atendidos mais de 295 mil domicílios, maior que a quantidade de domicílios existentes na cidade do Natal, 270.045 em 2022, de acordo com dados do IBGE. Em termos de quantidade de sistemas já conectados à rede de energia, 81,1% são representados por estabelecimentos residenciais e 14,9% por comerciais.


Utilizando como referência dados da consultoria Greener e a quantidade de empresas do setor já atendidas pelo Sebrae/RN, estima-se que cerca de 500 empresas estejam atuando no Estado, comercializando e instalando os sistemas, o que representa cerca de 5 mil empregos diretos, considerando uma média de 10 empregados por empresa. Os 10 municípios com maior quantidade de sistemas instalados respondem por 66,2% da quantidade de sistemas instalados no RN e 60,7% da potência instalada. Há ainda um amplo espaço para crescimento do setor, pois as 52.873 conexões já instaladas representam apenas 4,6% da quantidade de domicílios existentes no Rio Grande do Norte em 2022 (1.141.756), conforme dados do IBGE.


A elevação do preço da energia elétrica e a queda nos preços dos equipamentos de energia solar, com os módulos fotovoltaicos atingindo o menor preço da história em 2023, tem contribuído para que o prazo de retorno dos investimentos tenha sido reduzido, mesmo considerando a entrada em vigor das novas regras para geração de energia solar distribuída.


Para o diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, é de grande importância os dados e os impactos positivos do programa de energia solar distribuída no RN. “O Sebrae/RN teve o privilégio de firmar uma parceria com empresários desse setor para apoiar a criação da APER. A associação nasceu dentro do Sebrae e tornou-se, mais recentemente, uma grande parceira do polo Sebrae de Energias Renováveis. É realmente uma associação de grande sucesso. São mais de 50 mil sistemas instalados em todos municípios do RN. Foram criadas novas oportunidades de negócios para instaladores, que já ultrapassa o número de 100 empresas em pleno funcionamento”, afirma Zeca Melo.


Para o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico, Jaime Calado, a geração distribuída no Rio Grande do Norte surpreende a cada dia. “Em 2019, quando a governadora Fátima assumiu, nós tínhamos 2.450 instalações. Agora, em setembro, passou de 50 mil. Se você botar na ponta do lápis, eu acho que nem a China cresce numa velocidade dessa. A geração de emprego também é muito grande, nós já temos perto de 500 empresas só instalando painéis solares aqui no Estado e a manutenção disso dá empregos, vamos dizer mais estáveis, e a economia é absolutamente fantástica tanto para as pessoas como para as empresas. A APER, que é a associação potiguar de energia renovável, que cuida da geração distribuída tem um trabalho muito bom e a gente faz uma sintonia muito bacana com a APER. E a gente sempre convida a associação para todos os eventos, inclusive faz parte da nossa Câmara Setorial de Energia”, declarou.


O presidente da APER, Cássio Maia, destaca que o marco alcançado pela geração distribuída fotovoltaica no RN comprova não somente a grande adesão do potiguar às energias renováveis, mas também a aprovação e validação da energia solar como solução para trazer economia e conforto para os adeptos. “Esse grande número mostra a força e representatividade das energias renováveis na economia do nosso Estado, tendo papel importante na geração de empregos para a população e levando competitividade às empresas potiguares que reduzem seus custos, através da adesão a essa grande oportunidade. Em comparação com os estados vizinhos, o RN é o que apresenta maior potência instalada quando comparado com sua população ou PIB.”, comemora.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas