domingo, 14 de abril, 2024
29.1 C
Natal
domingo, 14 de abril, 2024

Clubes voltam a protestar após lances polêmicos

- Publicidade -

A rodada dos Estaduais desta quarta-feira colocou em pauta novamente o trabalho dos árbitros. Clássicos como São Paulo x Santos e Vasco x Fluminense foram cercados de críticas aos juízes, com reclamações de dirigentes e comissão técnica após os confrontos. As queixas neste início de temporada também se estendem a outros clubes, com direito a jogo anulado e lambança na terceira divisão paulista, além de admissão de erro por parte da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na Copa do Nordeste.


Antes mesmo de a bola rolar para São Paulo e Santos, no Morumbi, o clube alvinegro emitiu uma nota oficial contestando a escolha de Edina Alves Batista para apitar o clássico, citando “erros graves do passado”. O time santista venceu por 1 a 0, em uma partida recheada de polêmicas. A equipe tricolor reclamou bastante do pênalti marcado a favor do rival, que originou o único gol da partida, marcado por Morelos. Os donos da casa chegaram a balançar as redes, com Erick, mas o lance foi anulado depois de Edina assinalar toque de mão ao ser chamada para revisar a jogada no VAR.

Após a partida, Julio Casares, presidente do São Paulo, afirmou que a contestação pela escolha de Edina por parte do adversário influenciou na atuação de arbitragem. “A arbitragem hoje se mostrou insegura, picotou o jogo, desproporcionalmente marcou faltas a favor do adversário em relação ao São Paulo. Eu não vou discutir os lances capitais, o VAR chamou. Para mim, o pênalti foi rigoroso demais, mas a arbitragem prejudicou, inclusive, mal posicionada”, disse.

No Rio de Janeiro, a arbitragem de Bruno Mota Correia foi detonada pelo auxiliar-técnico Emiliano Díaz, do Vasco, no 0 a 0 com o Fluminense, pelo Campeonato Carioca. O filho do treinador Ramón Díaz entendeu que a equipe foi “roubada” após não serem marcadas duas penalidades a favor dos vascaínos, além da anulação de um gol. A partida terminou com quatro amarelos e um vermelho para cada lado. O diretor de futebol Alexandre Mattos e outros representantes do clube foram à sala do árbitro de vídeo. Em pronunciamento, o dirigente afirma que esta não é a primeira vez que o Vasco é prejudicado no Estadual.

“Quando cheguei, me falaram que o Vasco era muito prejudicado e, infelizmente, estou vendo a dificuldade do Vasco no Carioca. Um pouco de má vontade com incompetência, mas está demais. O Vasco não vai mais em federação discutir árbitro. Para quê? Somos recebidos bem, aceitamos, tentamos ajudar, até parabenizo o presidente que tenta fazer algo decente, mas o material humano está comprometendo todo o trabalho. Erros que não deveriam acontecer, principalmente quando se tem o VAR”, disse Mattos.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas