quinta-feira, 23 de maio, 2024
27.4 C
Natal
quinta-feira, 23 de maio, 2024

Matheus Jhones “surfa onda” do pai, Alan Jhones

Filho de peixe, peixinho é! Esse ditado se aplica muito bem a família do sufista potiguar Alan Jhones, que acabou de ver o filho Matheus Jhones, 10 anos, erguer o título de campeão da quinta etapa da Copa Salinas Surf City, que integra o Circuito Sul-americano Olas Pro Tour, na categoria sub-14. O garoto é determinado e vem mostrando muito potencial de crescimento e vai construindo onda a onda, a sua carreira internacional.
Mas este não foi o único feito de Matheus, a prova de que possui uma qualidade a mais dos seus adversários, é que disputando a competição da categoria sub-12, o garoto de Baía Formosa foi campeão das três últimas etapas da competição Sul-americana. No ano passado, na mesma categoria, o surfista potiguar 2023 foi campeão do circuito promovido por Filipe Toledo, atual campeão mundial, e também conquistou o título Guarujaense, em São Paulo.


A união perfeita de Matheus Jhones com a prancha vem de longe. Para se ter uma ideia de como o surfe faz parte do dia a dia dessa família, basta dizer que o primeiro presente do menino foi uma prancha de surfe, um presente da mãe. O mais interessante, é que o menino antes de completar os cinco anos, aprendeu a surfar usando a prancha do avô.

É claro que ver o filho tão cedo enfrentando uma das maiores forças da natureza, gerou algumas aflições na mãe, Thaysa Karoline Gomes Barros, 33 anos, que possui uma cicatriz na perna, fruto da preocupação com o menino surfista.

“Matheus começou muito cedo . A praia de Baía Formosa tem um fundo de pedra , então sempre fiquei com muito medo. Lembro- me de uma situação de quando ele tinha 5 anos. No dia o mar estava grande e achei que Matheus não iria suportar a força da onda e seria arremessado nas pedras, então pulei no mar para tentar ajudá-lo. E no final eu que precisei de ajuda. Tenho a cicatriz da pedra até hoje na perna. Hoje já estou acostumada e feliz por ver ele seguindo no esporte”, recordou.

Apesar do receio em ver o filho no mar, que é traiçoeiro, Thaysa Karoline disse que em nenhum momento interferiu na escolha. Ao contrário de tentar represar o desejo do menino, sempre buscou apoiar o filho em tudo. O resultado disso é que Matheus se transformou num atleta muito disciplinado e decidido. “Todos os dias ele surfa umas duas horas por dia, independente se o mar está bom ou ruim. O melhor é que ainda é dedicadíssimo na escola, sempre muito preocupado em se dar bem nas matérias. Como não aceita ser chamado a atenção, então sempre dá o melhor de si em tudo”, destacou.

Para se ter uma ideia do nível de dedicação que ele tem pelo esporte, basta dizer que em uma de suas primeiras apresentações internacionais, no Peru, Matheus Jhones foi campeão da categoria sub-12 de surfe, disputando a prova quando tinha apenas 9 anos. Nem o fato de carregar o nome de um dos principais surfistas mundiais, o menino se sente pressionado, pois que vê Matheus deslizar pelas ondas, sabe que ali existe uma espécie de talento natural, aquele que nasce com a pessoa.

“Ele tem o pai como exemplo e orgulho. Alan sempre deixou Matheus muito à vontade. Muitas pessoas solicitam para que Alan “ treine seus filhos, igual ele treina Matheus “mas Matheus é muito natural, surfar é a brincadeira favorita dele e nós queremos que ele aproveite bem este momento. Ainda não estamos inserindo o esporte como alto rendimento e performance, mas acredito que seja esse o caminho. Ele ama surfar e se diverte no que faz”, ressaltou. Essa percepção existe, porque o ambiente que o filho do casal está encontrando, é bem diferente que o do pai, nesta mesma etapa da vida, encontrou quando decidiu adotar o surfe como esporte.

“Matheus já consegue ter uma estrutura melhor. Tem o pai com toda vivência e experiência no ramo. Já o Alan teve dificuldade pois os pais são leigos no assunto e não conseguiram acompanhar ele em tudo. Então acredito que Alan “ deixou de ser criança “ mais rápido e teve que aprender os segredos do surfe na marra”, afirmou Thaysa Karoline.

Embora tenham a cidade de Baía Formosa como residência, devidos aos compromissos profissionais de Alan Jhones, a família escolheu passar um temporada no Guarujá-SP, visando facilitar não apenas os treinos, uma vez que o litoral paulista apresenta ondas boas o ano inteiro, bem como para agilizar o grande fluxo de viagem que o mundo do surfe exige. Porém, sempre que existe uma brecha no calendário ou acaba a temporada anual do esporte, eles voltam para o berço do surfe potiguar.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas