quinta-feira, 15 de fevereiro, 2024
26.1 C
Natal
quinta-feira, 15 de fevereiro, 2024

Sessão de cinema fashion em casa

- Publicidade -
Augusto Bezeril
Colunista de Moda 
Quem é cinéfilo ou não, sabe que um bom filme é uma pedida para ficar em casa. ABZ Tribuna do Norte remexeu o acervo e buscou títulos com apelo de estilo e marcado por divas. A filmografia de Marylin Monroe não deixa dúvida que a loira é preferida entre as divas. “Eu amo todos os filmes”, diz o cabeleireiro Tony Glamour. Ou seja: qualquer escolha vale por ver a musa platinada em ação. Escalada para Bonequinha de Luxo, Marylin perdeu o lugar para Audrey Hepburn. O filme celebra o luxo da Tiffany e o figurino da maison Givenchy faz com que Audrey se torne ícone máximo da elegância e estilo. O que já é um motivo para (re)ver filmes como  Sabrina, Cinderela em Paris, Charada, Quando Paris Alucina, Amor Na Tarde e, claro, Bonequinha do Luxo. 
Falando em casas francesas de moda, o figurino da Chanel para Delphine Seyrig é motivo para assistir O Ano Passado de Marienbad, de Alain Renais. Mais recentemente, a Chanel vestiu Cate Blanchett em Blue Jasmine de Woody Allen. É imperdível. O francês Jean Paul Gaultier lança algo mais ao criar o figurino de O Quinto Elemento. E não dá para imagem Catherine Deneuve em A Bela da Tarde sem os looks criados por Yves Saint-Laurent. As duas cinebiografias sobre o estilista, vale entrar entre as sessões.Saint Laurent, vive. 
Ainda entre os nomes europeus, Giorgio Armani marcou literalmente os anos 80 ao vestir Richard Gere em Gigolô Americano. Símbolo da alta costura francesa Christian Dior assina o figurino de Quando a Mulher Erra, cuja direção tem o mestre Vittorio Di Sicca. Japonês radicado em Paris, Yohji Yamamoto assina o figurino do hemético “Dolls”, Takeshi Kitano. Seguindo a linha filmes chamado “cult”, Nanook – o Esquimó, documentário com data de 1922 do século passado, sob direção de Robert Flaherty é uma dica preciosa e atual.  
Achava que ia faltar Brasil?  Além dos clássicos protagonizados por Carmen Miranda (começando por Serenata Tropical), Madame Satã, dirigido por Karin Ainouz,é puro estilo. O mesmo vale para Praia do futuro, romance homoafetivo, tendo com cenário Brasil e Alemanha. 
Para mostrar que brasileiro sabe fazer humor, cinema e estilo,  “Esta Noite Encarnarei Teu Cadáver”, dirigido por Zé do Caixão merece lugar privilegiado em nosso lugar em casa.  
- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas