domingo, 14 de abril, 2024
29.1 C
Natal
domingo, 14 de abril, 2024

Vaga no Congresso dos EUA que era do brasileiro George Santos fica com o partido adversário

- Publicidade -

O democrata Tom Suozzi venceu uma eleição especial em Nova York para uma cadeira na Câmara dos EUA na terça-feira, 13, saindo vencedor em um distrito suburbano politicamente misto, em uma vitória que pode aumentar as esperanças de seu partido rumo a uma eleição presidencial a ser disputada ainda tarde neste ano. Suozzi derrotou a republicana Mazi Pilip para ocupar a cadeira que ficou vaga quando o brasileiro George Santos, também republicano, foi expulso do Congresso. A vitória marca o retorno de Suozzi a Washington – ele representou o distrito por três mandatos antes de sair para concorrer, sem sucesso, a governador.

Não está claro quanto tempo durará sua próxima passagem pelo Capitólio, à medida que se desenrola um processo de reestruturação que pode remodelar o distrito. Mas, por enquanto, o resultado reduz a já pequena maioria republicana na Câmara. E proporciona aos democratas uma vitória muito necessária nos subúrbios de Long Island, na cidade de Nova Iorque, onde o Partido Republicano mostrou uma força surpreendente em eleições recentes.

Suozzi enfatizou o tema de sua campanha de cooperação bipartidária em um discurso de vitória que foi brevemente interrompido por manifestantes que criticavam seu apoio a Israel.

“Existem divisões em nosso país onde as pessoas nem conseguem conversar umas com as outras. Tudo o que podem fazer é gritar e berrar uns com os outros”, disse ele, reconhecendo os manifestantes. “Essa não é a resposta para os problemas que enfrentamos em nosso país. A resposta é tentar unir as pessoas para tentar encontrar um terreno comum.”

“A maneira de tornar o nosso país um lugar melhor é tentar encontrar um terreno comum. Não é fácil de fazer. É difícil de fazer”, disse Suozzi a apoiadores na sua festa de noite de eleição em Woodbury.

A vitória de Suozzi provavelmente garantirá aos democratas que eles possam ter um bom desempenho nas comunidades suburbanas de todo o país, o que será fundamental para os esforços do partido para retomar o controle da Câmara dos EUA e reeleger o presidente Joe Biden.

Ainda assim, a previsão para novembro pode ser complicada, dado que a participação da população, já esperada para ser baixa devido a esta corrida ser abreviada, foi potencialmente prejudicada por uma tempestade que despejou vários centímetros de neve no distrito no dia da eleição. Ambas as campanhas ofereceram aos eleitores caronas gratuitas para irem às urnas enquanto estradas com lama aquosa eram limpas.

No curto prazo, o resultado poderá ser um fator para votações extremamente acirradas na Câmara, onde os republicanos detêm uma maioria de 219 a 212. Em um exemplo da importância de uma cadeira, os republicanos da Câmara votaram na noite de terça-feira pelo impeachment do secretário de Segurança Interna Alejandro Mayorkas por um único voto, punindo o governo Biden por suas políticas de fronteira

“As questões que preocupam a todos não são importantes neste momento?”

Em um local de votação em Long Island, Eliezer Sarrias, de 59 anos, disse que votou em Suozzi porque o ex-congressista parecia mais capaz de trabalhar com o partido adversário para chegar a acordos e acabar com o impasse no Congresso.

“Os constituintes elegem nossos oficiais para desempenhar um determinado trabalho e realmente tivemos um ano parlamentar muito estagnado”, disse Sarrias após votar em uma escola secundária em Levittown. “Mesmo com os migrantes agora, tínhamos um acordo bipartidário no Congresso e de repente ele evaporou, tipo, por quê? Será que realmente precisamos esperar pela chegada de outro presidente ou as questões que preocupam a todos não são importantes neste momento?”

Durante a campanha, Suozzi, um político centrista, apoiou-se em algumas das mesmas questões que os republicanos usaram para atacar os democratas, pedindo políticas de fronteira mais duras nos EUA e uma reversão das leis de Nova York que tornou mais difícil para juízes deterem suspeitos criminais aguardando julgamento.

Santos: uma história de “sucesso” e mentiras

A incomum eleição no meio do inverno tornou-se necessária depois que Santos foi deposto por seus colegas em dezembro, no meio de seu primeiro mandato.

Santos conquistou o cargo no que tinha sido um distrito democrata em parte por se apresentar falsamente como uma história americana de sucesso – um filho de imigrantes da classe trabalhadora que se tornou um rico negociador de Wall Street. Mas muitos elementos da história de vida de Santos foram posteriormente expostos como invenções e ele foi indiciado por múltiplas acusações, incluindo alegações de que roubou dinheiro de doadores republicanos. Ele se declarou inocente.

Sem tempo para primárias antes da eleição especial, os democratas nomearam Suozzi, um político centrista bem conhecido dos eleitores do distrito.

Os líderes republicanos recorreram a Pilip, uma candidata relativamente desconhecida com uma história pessoal única. Nascida na Etiópia, ela migrou para Israel como parte da Operação Salomão e serviu nas forças de defesa de Israel antes de finalmente se mudar para os EUA e ganhar um assento na legislatura do condado de Nassau em 2021.

Pilip reconheceu a derrota e disse que parabenizou Suozzi por telefone na noite de terça-feira.

“Sim, perdemos, mas isso não significa que vamos terminar aqui”, disse Pilip a apoiadores.

Biden, Trump, eleição presidencial

A responsável pela campanha de Biden foi rápida em vincular a vitória à próxima corrida presidencial. “Donald Trump perdeu novamente esta noite. Quando os republicanos defendem a agenda extrema de Trump – mesmo para um assento ocupado pelos republicanos – os eleitores os rejeitam”, disse Julie Chavez Rodriguez.

Trump comentou o resultado em uma postagem em seu site de mídia social Truth Social, chamando Pilip de uma “mulher muito tola” que estava “participando de uma corrida onde ela não me apoiou e tentou ficar em cima do muro, quando ela teria GANHADO facilmente se ela entendesse qualquer coisa sobre a política dos DIAS MODERNOS na América”.

A curta campanha foi dominada por questões – aborto, imigração e crime – que deverão moldar corridas suburbanas cruciais em todo o país na batalha deste ano pelo controle do Congresso.

Apesar de já ter sido uma migrante internacional, Pilip criticou Suozzi por causa do influxo de solicitantes de asilo na cidade de Nova York, acusando os democratas e Biden de não conseguirem proteger a fronteira sul dos EUA.

Em resposta, Suozzi passou grande parte da campanha falando sobre a necessidade de reforçar a política de fronteiras, apontando ocasiões em que resistiu ao seu próprio partido nesta questão enquanto estava no Congresso. Na reta final, Suozzi disse que apoiaria um fechamento temporário da fronteira para diminuir o número de chegadas, semelhante a comentários feitos por Biden.

Suozzi contra-atacou Pilip sobre aborto, dizendo que ela não era confiável para proteger o direito ao aborto em lugares como Nova York, onde ele permanece legal.

Pilip disse que é pessoalmente contra o aborto, mas não forçaria suas crenças para outras pessoas e se oporia a qualquer tentativa do Congresso de impor uma proibição nacional. Ela também disse que o mifepristona, um medicamento para o aborto, deveria estar disponível nacionalmente.

Ambos os candidatos expressaram apoio inabalável a Israel no seu conflito com o grupo terrorista Hamas, até mesmo aparecendo lado a lado em um evento conjunto incomum destinado a transmitir solidariedade.

Democratas e republicanos terão a oportunidade de lutar novamente pela cadeira no Congresso nas eleições gerais de novembro, embora o campo de batalha possa parecer diferente.

Isso porque os distritos eleitorais do estado deverão ser redesenhados novamente nos próximos meses por causa de uma ordem judicial. A expectativa é que os democratas, que dominam o governo estadual, tentem elaborar linhas mais favoráveis para os seus candidatos.

Espera-se que Nova York desempenhe um papel descomunal na determinação do controle do Congresso neste ano, com corridas competitivas nas áreas ao redor da cidade de Nova York. Fonte: Associated Press.

Estadão Conteúdo

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas