quinta-feira, 18 de abril, 2024
26.1 C
Natal
quinta-feira, 18 de abril, 2024

Bombeiros e policiais militares se reúnem em protesto em Natal; Trânsito lento na Salgado Filho

- Publicidade -

Um grupo de bombeiros e policiais militares se reúne na tarde desta segunda-feira (13), em frente ao Midway Mall, em Natal como parte de um ato em cobrança pela atualização da Lei de Promoção e reajuste salarial das categorias. Do shopping, os manifestantes vão sair em caminhada em direção à Governadoria, pela avenida Senador Salgado Filho, onde esperam ter uma reunião com a governadora Fátima Bezerra.

Por volta das 14h, os primeiros manifestantes já iam chegando ao local marcado como ponto de partida para o ato. Os policiais e bombeiros se concentram na calçada em frente ao shopping, de onde irão sair em caminhada.

Grupo começou a se reunir por volta das 14h desta segunda-feira | Foto: Cedida/ASSPMBMRN

Segundo a subtenente Márcia Carvalho, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos (ASSPMBMRN), um ofício foi protocolado na semana passada solicitando reunião com a governadora Fátima Bezerra.

O objetivo da mobilização é avançar nas pautas exigidas pela categoria desde o dia 7 deste mês, quando a tropa se reuniu por quatro dias consecutivos no Centro Administrativo e os representantes participaram de reuniões com a secretaria de Administração do RN: o reajuste salarial para compensar as perdas ao longo do último ano e a atualização da Lei de Promoção de Praças (Lei Complementar 657/2019), para incluir os novos soldados no programa de ascensão de carreira da PMRN.

Nos encontros anteriores com o secretário Pedro Lopes, foi anunciada a impossibilidade de discutir o reajuste salarial e de atualizar a legislação, alegando depender da previsão da receita de 2024 e de fatores como a manutenção do ICMS a 20%.

Segundo a presidente da ASSPMBMRN, a tropa se recusa a dialogar novamente com o secretário e exige a atenção da Governadora. “Caso não haja avanços na negociação, a categoria não descarta ações mais enfáticas no futuro, como o não voluntariado para realizar o policiamento durante o Carnatal”, afirmou a associação.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas