domingo, 16 de junho, 2024
23.1 C
Natal
domingo, 16 de junho, 2024

Em Parnamirim, protesto fechou parcialmente BR 101

Os manifestantes que participaram do protesto ontem pela Revolta do Busão Parnamirim invadiram pacificamente o pátio da Câmara Municipal e saíram minutos depois. Três manifestantes foram detidos, segundo a Polícia Militar, sob a acusação de incitar a invasão. O protesto foi encerrado às 18h45 sem que houvesse qualquer tipo de depredação.
#ALBUM-4508#
Após serem encaminhados para a Delegacia de Plantão Zona Sul, em Candelária, onde foi registrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), os três manifestantes foram liberados. Em sua defesa, eles afirmaram que pretendiam realizar uma plenária no local e não tinham intenção de depredar o patrimônio público.

De acordo com o tenente- coronel Jair Júnior, comandante do 3º Batalhão de Polícia de Polícia Militar, cerca de 150 pessoas participam do protesto. Um efetivo de 75 policiais militares acompanhou o protesto. Durante a caminhada pela BR-101, duas viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram utilizadas.

Não houve confronto entre a polícia e os manifestantes, mas 30 agentes do Pelotão de Choque ficaram de plantão no batalhão. “Nós sabemos que a maioria é pacífica e que os atos de vandalismo são isolados”, afirmou Jair Júnior.

A caminhada de ontem foi iniciada na Praça de Deus, às 16h20, seguindo pelas Avenidas Everaldo Breves e Tenente Medeiros. Às 16h35, a manifestação chegou à BR-101. Durante o percurso pela rodovia, houve paradas nos cruzamentos das Avenidas Getúlio Vargas, Edgar Dantas e Clementino Câmara.

Ainda na BR-101, a Polícia Militar distribuiu picolés para os manifestantes. Na Praça de Deus, a PM distribuiu água mineral.

Os manifestantes chegaram à Câmara Municipal às 17h20 e, após a realização de uma plenária, ficou definido que um documento seria entregue aos vereadores com as reivindicações da Revolta do Busão Parnamirim.

Tapumes foram colocados em frente à Câmara para evitar depredações, conforme explicou o vereador Carlos Augusto Maia, que recebeu os manifestantes após os três jovens serem detidos pela PM.

Entre as reivindicações dos manifestantes estão o passe livre, a formação de um fórum municipal permanente de transporte, a abertura das planilhas da empresa de transportes, implantação de um conselho municipal de transportes públicos, a municipalização e regularização das linhas interbairros, a integração das tarifas da região metropolitana, estatização das empresas de transporte, bem como a disponibilização de linhas 24 horas.

O próximo protesto está programado para o dia 12 de julho, data que ainda poderá sofrer alteração durante a plenária marcada para a próxima terça-feira (9), às 18h, na Escola Estadual Presidente Roosevelt.

Desde o protesto do dia 26 de junho, o número de participantes tem sido reduzido se comparado ao anterior, realizado no dia 20. Conforme dados da PM, no primeiro, cerca de duas mil pessoas participaram da manifestação, enquanto no segundo, esse número caiu para 150.

Nos protestos do dia 26, um grupo de cerca de 80 pessoas ocupou o Plenário da Câmara Municipal, virando móveis, quebrando vidros e espalhando papel higiênico pelo local.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas