sábado, 22 de junho, 2024
24.1 C
Natal
sábado, 22 de junho, 2024

Natal ganha aplicativo voltado para mobilidade das pessoas com deficiência visual

A Cittamobi lançou nesta quarta-feira (22) em Natal, na sede da STTU, sua plataforma de serviços voltada para a mobilidade das pessoas com deficiência visual. O Cittamobi Acessibilidade permite acessar conteúdos sobre o sistema de transporte público, recebendo informações em tempo real que ajudam na autonomia, independência e deslocamentos de seus usuários.

De acordo com o jornalista Bruno Reis, representante do aplicativo, “a plataforma permite a previsão em tempo real e aviso de chegada ao ponto de destino, ambientação dos usuários ao longo do trajeto, roteirizador e a possibilidade de criar pontos de referências personalizados, entre outras disponibilidades de serviços. Todas as funções são ativadas por comando de voz e possuem suporte de assistente virtual.”

Plataforma permite a previsão em tempo real e aviso de chegada ao ponto de destino. Foto: STTU

O app foi idealizado por Luiz Eduardo Porto, engenheiro de software cego e parceiro da Cittamobi, que esteve presente no lançamento em Natal. Porto destacou que “a plataforma possibilita programar locais de preferência como o endereço da casa, do trabalho, criar rotas específicas e salvar off-line o caminho de volta em caso de falha do sinal da internet. Tudo em prol da qualidade de vida de seus usuários.”

O lançamento contou ainda com a presença de entidades representativas da cidade como a Sociedade dos Cegos do Rio Grande do Norte (SOCERN) e o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comude). O representante do Comude, o radialista Ronaldo Tavares parabenizou a parceria institucional da STTU e o Cittamobi Acessibilidade e destacou que “essa é mais uma ferramenta inovadora e de inclusão para pessoas com deficiência visual.”

A plataforma foi desenvolvida em 2014 com a proposta inicial de oferecer apenas os horários das rotas dos ônibus, tendo então seus usuários a oportunidade de programarem melhor seus percursos e tempo gasto. Hoje o aplicativo disponibiliza as rotas possíveis para realizar o trajeto, seja para pedestres ou motoristas, sinalizando por todo o roteiro a existência de obstáculos, locais e radares. A versão Acessibilidade conta com a opção Voice Over, que acompanha o usuário por todo o trajeto, informando ruas e locais por onde o pedestre está passando, além de informar, caso esteja no ônibus, quando deve descer na parada.


Para o presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Natal, Ronaldo Tavares, o aplicativo é uma conquista para a população natalense, que encontra diariamente dificuldades para se locomover pela cidade. “O aplicativo vem contemplar e brindar uma luta nossa por inclusão social, autonomia, independência, segurança e autoestima. Porque hoje a pessoa com deficiência visual, com o aplicativo CittaMobi, tendo implementado a acessibilidade, vai nos permitir ter esse acesso, inclusive não só às pessoas cegas, bem como às pessoas com baixa visão e até mesmo visão monocular”, conta Ronaldo, que também é Presidente da Sociedade dos Cegos no RN.


“Nós estamos conseguindo, passo a passo, melhorar a qualidade de vida da pessoa com deficiência visual. Já temos o BIP no ônibus, temos agora esse aplicativo com acessibilidade e, ao nosso ver, o que fica faltando é um programa de voz igual ao metrô. Aí sim seria a redenção definitiva das pessoas com deficiência visual, baixa visão, visão monocular e o segmento como um todo”, destaca Ronaldo.


A ideia de desenvolver o aplicativo veio da dificuldade que Luiz Porto e a sua esposa, ambos deficientes visuais, encontravam para se locomover pela cidade. Após um dia esperar 40 minutos pela chegada do ônibus, o programador decidiu entrar em contato com o poder público para ter acesso aos localizadores dos ônibus da cidade, e deu então início ao desenvolvimento do aplicativo.


“As ferramentas do CittaMobi Acessibilidade foram desenvolvidas após dificuldades que eu mesmo passei. Gosto de viajar com a minha esposa e, como somos deficientes, encontrávamos dificuldade para termos autonomia nas cidades que chegávamos. Então desenvolvi o aplicativo como forma de beneficiar a mim e a minha comunidade para termos a nossa desejada independência no dia a dia”, conta Luiz.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas