sábado, 22 de junho, 2024
24.1 C
Natal
sábado, 22 de junho, 2024

Sistema Vigiadengue será adotado em outras cidades

O sistema Vigiadengue, método utilizado pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde de Natal no combate e monitoramento ao Aedes aegypti, vetor transmissor da dengue, zika e chikungunya, já é tido como uma experiência exitosa pelo Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Organização Panamericana da Saúde (OPAS). O trabalho foi escolhido como projeto-piloto a ser implantado em outras cidades  brasileiras.
Um total de 510 armadilhas (Ovitrampas) estão distribuídas nos bairros de Natal a cada 300 metros
O chefe do Centro de Controle de Zoonoses de Natal, Alessandre Medeiros, explicou que o Vigiadengue é um monitoramento ativo dos indicadores entomológicos, que diz respeito a população do Aedes aegypti, e dos indicadores epidemiológicos, que se referem ao acompanhamento dos casos humanos de dengue. “O cruzamento desses dados gera mapas que vão identificar quais áreas de risco e maior transmissão de doenças e daí orientar tomadas de decisões e direcionar ações mais rápidas de combate ao  mosquito”, detalhou o chefe do CCZN.

Medeiros disse que as informações semanais estão permitindo a intensificações de ações, por meio da força-tarefa, como ocorreu no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, onde foram notificados 26 casos de dengue e, a partir desta segunda-feira (22), ocorrerá nos bairros de Potengi e Mãe Luiza, onde já foram registrados 12 e 10 casos de dengue, respectivamente.

Durante a força-tarefa, as ações de combate ao mosquito serão de tratamento focal, com visitas domiciliares nas áreas críticas, uso da UBC portátil, além de mobilizações sociais, caminhadas e trabalho de orientação e educação em saúde. Desde a divulgação do primeiro Boletim Epidemiológico de 2016, no dia 10 de janeiro, os casos  notificados de  dengue em Natal cresceram 33,3%. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que, naquela data, havia 80 casos notificados de dengue, número que subiu para 104 nos últimos 15 dias.

Alessandre Medeiros disse que esse número absoluto de notificações de casos de dengue, “já é uma mudança concreta”, desde que houve a adoção do Vigiadengue, sistema com monitoramento semanal das áreas de maior risco de população vetorial (mosquito), pois em janeiro de 2015 o número de casos  notificados de dengue chegou a 645.

Na segunda-feira (18), uma equipe de reportagem do canal de comunicação TV Saúde, ligado ao MS, esteve em Natal para gravar um video sobre o Vigiadengue. O jornalista Anderson Andrade, da TV Saúde, conheceu todo o processo de funcionamento do Vigiadengue, desde a implantação e coleta das Ovitrampas nas residências, bem como a análise epidemiológica e entomológica, que é feita no laboratório do Centro de Zoonoses. O método Ovitrampas foi desenvolvido pelo Departamento de Microbiologia e Parasitologia do Centro de Biociências da UFRN.

Diariametne, as unidades de saúde e as UPAs alimentam o sistema Vigiadengue, com dados dos pacientes infectados por dengue, e o CCZN com informações sobre a coleta de ovos depositados pelo mosquito em 510  armadilhas (Ovitrampas), distribuídas a cada 300 metros em todos os bairros de Natal, que vão gerar índices de positividade e de densidade de ovos. Com  isso, segundo Alessandre Medeiros, é possível se identificar de  maneira rápida as áreas de risco e intervir, de maneira rápida, coisa que não era possível pelo LIRAA, levantamento que só era feito a cada dois ou três meses.

Governo promove no sábado o ‘Dia D’ de combate ao Aedes
Enquanto o município concentra sua força-tarefa de combate ao mosquito Aedes aegypti em Mãe Luiza e Potengi, a partir desta segunda (25), o governo estadual anuncia a campanha “Dia D de Combate ao Mosquito Aedes aegypti” neste sábado (23), no Planalto, onde o índice de casos dengue também é considerado alto.

Segundo o governo, a mobilização deve contar com 450 pessoas e pretende atingir 6 mil casas, com o apoio de servidores do Estado e será realizada em parceria com voluntários da Cruz Vermelha, Escoteiros, Forças Armadas, Jipeiros, Polícia Militar, Bombeiros e Igrejas.

“Vamos realizar esse ‘Dia D para que sirva de exemplo para que a sociedade acorde e não ache que só vai acontecer na casa dos outros. A população pode denunciar se souber de algum local com focos do mosquito através do telefone 199”, afirmou o governador Robinson Faria”.

A subcoordenadora de Vigilância Epídemiológica (Suvige) da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), diz que no “Dia D” a população do Planalto vai ser informada sobre “os hábitos do vetor e os cuidados imprescindíveis para evitar a sua proliferação”. Os voluntários do “Dia D” irão sair do Largo da Feira, às 9 horas e a ação deve ocorrer por  três horas.

Últimas Notícias
Notícias Relacionadas