quinta-feira, 18 de abril, 2024
26.1 C
Natal
quinta-feira, 18 de abril, 2024

Prestes a completar um mês, assassinato de advogada em Santo Antônio ainda não foi solucionado

- Publicidade -

Quase um mês após a advogada Brenda dos Santos Oliveira, de 26 anos, e seu cliente Janielson Nunes de Lima, de 25, serem assassinados a tiros no município de Santo Antônio, região Agreste do Rio Grande do Norte, o crime ainda não foi solucionado. De acordo com a Polícia Civil (PC/RN), em resposta à TRIBUNA DO NORTE nesta quarta-feira (28), as investigações seguem de forma sigilosa e novidades serão divulgadas no momento oportuno pelo Órgão. Na madrugada desta quarta-feira (28), mais uma advogada foi vítima de ações de criminosos ao lado do namorado.


Conforme apontado pelo delegado Thyago Batista, da PC/RN, no último dia 31 de janeiro, pelo menos quatro pessoas tiveram participação no crime contra Brenda. Além delas, as investigações também buscam comprovar o possível envolvimento de outros indivíduos na ação. Até o momento, não foram divulgadas informações sobre a possível identidade dos alvos da apuração.


O assassinato contra Brenda dos Santos Oliveira e Janielson Nunes de Lima aconteceu na tarde do último dia 30 de janeiro. Na ocasião, ao sair da delegacia com o cliente, a cerca de 500 metros do local, quatro indivíduos interceptaram o veículo da advogada e efetuaram disparos contra ela e Janilson. De acordo com a Polícia Militar, durante os disparos, o carro acabou colidindo com um ônibus na pista. Além das vítimas, também estavam no carro a mãe, a irmã e uma amiga do cliente que sofreram lesões leves e foram socorridas a uma unidade hospitalar.


Antes do dia da ocorrência do crime, na tarde de 29 de janeiro, Janielson foi à delegacia prestar depoimento sobre o caso em que era investigado como suspeito do assassinato de João Victor Bento da Costa, de 18 anos, morto no dia 28 de janeiro, durante a vaquejada de Santo Antônio. No entanto, Janielson foi intimado a retornar à unidade para prestar novos esclarecimentos. No retorno, o suspeito foi interrogado com a presença da advogada. Ao fim das perguntas, Janielson foi liberado.

- Publicidade -
Últimas Notícias
- Publicidade -
Notícias Relacionadas